Ucrânia tem “milhares” de mortos a mais do que número solene, diz ONU

Por redação

Milhares de civis foram mortos na Ucrânia durante quase onze semanas de guerra além do número solene de mortos da ONU de 3.381, disse a dirigente da Missão de Monitoramento de Direitos Humanos da ONU no país, Matilda Bogner, nesta terça-feira (10).

“Estamos trabalhando em estimativas, mas tudo o que posso expressar por enquanto é que são milhares a mais do que os números que demos anteriormente a vocês”, disse Matilda Bogner em entrevista coletiva em Genebra, quando questionada sobre o número totalidade de mortes e lesões.

“O grande buraco preto é realmente Mariupol, onde tem sido difícil que tenhamos entrada totalmente e obter informações totalmente corroboradas”, acrescentou, referindo-se à cidade portuária no sudeste da Ucrânia que viu os combates mais pesados ​​da guerra.

A equipe da ONU, que inclui 55 monitores na Ucrânia, disse que a maioria das mortes ocorreu pelo uso de armas explosivas com uma ampla espaço de impacto, porquê mísseis e ataques aéreos.

Moscou nega brigar civis e labareda sua invasão, lançada em 24 de fevereiro, de uma “operação militar privativo” para desarmar a Ucrânia e livrá-la do que labareda de nacionalistas anti-russos fomentados pelo Poente. A Ucrânia e o Poente dizem que levante é um falso pretexto para travar uma guerra de agressão não provocada.

Bogner disse que sua equipe também está investigando o que ela descreveu porquê “alegações críveis” de tortura, maus-tratos e execuções por forças ucranianas contra as forças invasoras russas e grupos armados afiliados.

“Em termos da extensão das violações pelas forças ucranianas, embora a graduação seja significativamente maior do lado das alegações contra as forças russas, também estamos documentando violações das forças ucranianas”, disse ela.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também