Taiwan diz que espera sanções de todo o mundo em caso de invasão chinesa

Por redação

Taiwan espera que o mundo sancione a China uma vez que está sancionando a Rússia por sua guerra contra a Ucrânia se Pequim sentenciar invadir a ilhéu, disse o ministro das Relações Exteriores, Joseph Wu, neste sábado (7).

A ilhéu aderiu às sanções lideradas pelo Poente contra a Rússia, e na sexta-feira (6) acrescentou Belarus à lista. Os movimentos são em grande secção simbólicos, dados os níveis mínimos de negócio direto de Taiwan com os dois países.

Mas a situação da Ucrânia ganhou ampla simpatia pública em Taiwan devido ao que muitas pessoas veem uma vez que paralelos entre o que está acontecendo no país europeu e o que poderia ocorrer se a China usar a força para colocar a ilhéu que reivindica uma vez que sua sob controle chinês.

Falando a repórteres em Taipei em um evento para marcar a instauração do que se tornaria a União Européia, Wu disse que é importante estar ao lado de outros na denúncia da invasão e sancionar tanto a Rússia quanto Belarus.

“No horizonte, se formos ameaçados com força pela China ou invadidos, é evidente que esperamos que a comunidade internacional possa entender e concordar Taiwan e sancionar esse tipo de comportamento ofensivo”, acrescentou.

“Logo, Taiwan está com a comunidade internacional e toma essas medidas”, disse Wu, referindo-se às sanções.

Taiwan elevou seu nível de alerta desde o início da guerra na Ucrânia, cordato com a China fazendo um movimento semelhante, embora o governo de Taipei não tenha relatado sinais de um ataque iminente.

A China, que não condenou a invasão da Rússia, descartou quaisquer comparações com Taiwan, dizendo que a ilhéu não é um país e unicamente uma província chinesa, uma visão que o governo democraticamente eleito de Taipei contesta fortemente.

Falando no mesmo evento, o presidente do parlamento de Taiwan, You Si-kun, disse que a Ucrânia “se saiu muito muito”, enfrentando a Rússia por mais de 70 dias, ganhando a “assombro” de Taiwan.

“Esperamos que a Ucrânia seja definitivamente vitoriosa e permaneça firme até o termo do conflito”.

A maioria dos países, incluindo os Estados Unidos e todos os estados membros da União Europeia só têm laços diplomáticos formais com Pequim, não com Taipei e, ao contrário da Ucrânia, não reconhecem Taiwan uma vez que país.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também