Tailândia distribuirá um milhão de pés de cannabis, diz ministro

Por redação

O governo tailandês distribuirá gratuitamente um milhão de pés de cannabis para casas em todo o país em junho, para marcar a novidade lei que permite que as pessoas cultivem cannabis em suas casas, disse o ministro da Saúde.

O ministro da Saúde, Anutin Charnvirakul, anunciou a iniciativa em uma publicação no Facebook no dia 8 de maio, na qual expressou sua intenção de que a cannabis seja cultivada porquê uma “quintal caseira”.

A novidade regra, que entra em vigor no dia 9 de junho, permitirá que as pessoas cultivem cannabis em lar depois notificar o governo lugar, mas as vegetalidade terão de ser de qualidade médica e usadas exclusivamente para propósitos medicinais. A cannabis também não poderá ser comercializada sem uma série de licenças.

A iniciativa é o passo mais recente do projecto da Tailândia para promover a cannabis porquê um cultivo lucrativo. Tapume de um terço da mão de obra do país trabalha na lavoura, de negócio com o Banco Mundial.

Em uma região conhecida pelas punições severas pelo uso de substâncias ilegais, a Tailândia se tornou o primeiro país a legalizar o uso medicinal e em pesquisas da cannabis.

O reino também afrouxou as leis locais ao volta da cannabis. As empresas de bebidas e cosméticos lançaram produtos com cânhamo e CBD, um formado que não tem efeitos psicotrópicos, depois da aprovação para bens de consumo.

Em outra publicação no Facebook, no dia 10 de maio, Anutin destacou que empresas tailandesas registradas poderiam vender produtos que contivessem menos de 0,2 tetrahidrocannabinol, ou THC, segmento da vegetal que desculpa efeitos alucinógenos.

“Isso permitirá que as pessoas e o governo gerem mais de 10 bilhões de bath (moeda lugar) por ano em vendas de maconha e cânhamo”, escreveu Anutin.

Kitty Chopaka, um empresário da cannabis de Bangkok, disse à CNN que a lei tem a intenção de furar o caminho para que as pessoas usem a vegetal em chás e sopas medicinais.

“Ainda será considerado criminoso se você não tiver uma receita lícito, e você tem que ser um paciente em tratamento para alguma doença para que funcione. Só portanto poderá cultivar cannabis em lar e usar porquê quiser.”

Ela acrescentou que, ainda que o uso recreativo da droga continue ilícito, “o fumo da maconha vai sobrevir, e não há jeito para (o governo) parar isso.”

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também