Taça ou garrafa? 10 bares de vinho em SP para saber, por Daniela Filomeno

Por redação

Branco, tinto, rosé, espumante, vegano, biodinâmico… Não importa. Seja qual for seu tipo predilecto de vinho, ele tem endereço perceptível para ser degustado na capital paulista: nos bares de vinho.

Espalhados pela cidade, os wine bars ganharam o coração dos amantes da bebida – incluindo o meu – e se popularizaram entre os bares de São Paulo. Nesta toada, vemos alguns exemplos muito frescos, porquê o Paloma, que abriu as portas em setembro pretérito no Copan, ou o Primitivo, que iniciou sua jornada em dezembro de 2020, no auge da pandemia.

Assim, eles juntam o melhor dos dois mundos: comidinhas muito muito feitas que são apreciadas ao lado de rótulos do mundo todo servidos na taça ou na garrafa.

É muito interessante notar, inclusive, que a grande maioria destes estabelecimentos tem uma pegada supercondizente com os tempos atuais, já que priorizam vinhos produzidos com a mínima mediação, muitas vezes de pequenos produtores e com métodos ancestrais – inclua para a conta vinícolas nacionais também.

Entre uma garrafa e outra, confira a seguir minha seleção de bares de vinhos em São Paulo e se surpreenda com os rótulos oferecidos – há vinhos germânicos, laranjas, naturais e mais uma gama para trespassar do óbvio.

Paloma

Em meio ao agito gastronômico e social do térreo do Copan, na avenida Ipiranga, meio de São Paulo, o Paloma foi inaugurado setembro pretérito e combina um frescor moderno com referências retrô e decoração minimalista. O serviço é descomplicado e as comidinhas que podem escoltar as escolhas de vinho têm inspiração de boteco.

Com poucas mesas, o espaço obriga que as pessoas se sentem muito pertinho umas das outras. Um pilar muito no meio do salão se destaca e abriga prateleiras cheias de garrafas de vinho. Falando nelas, a mansão possui uma missiva extensa, rótulos que podem ser degustados em garrafa, taça e também serem levados para mansão – na missiva há também vinhos laranjas, jerez, orgânicos e com o mínimo de mediação.

Manjuba com salsa da flores (R$ 35), melão com presunto cru (R$ 37) ou as azeitonas (R$ 32) podem penetrar o gosto – há também almoço executivo de segunda a sexta com ingresso, prato principal e sobremesa por R$ 49.

Avenida Ipiranga, 200, Núcleo Histórico de São Paulo, São Paulo – SP / Horário de funcionamento: segunda à quinta-feira das 12h às 24h; sexta e sábado das 12h à 1h e domingo das 12h às 18h.

Ressaltado Bar

Pantumaca da mansão: pão tostado, purê de tomates e anchôvas / Daniela Filomeno

Fazendo coro ao badalo da rua Jesuíno Pascoal, no meio – cá há o Koya88 e o Bagaceira, por exemplo, que fazem bonito na cena etílica da cidade -, o Ressaltado é um wine bar aprazível que apresenta ampla missiva de vinhos, muitos para pedir em taça. Cá, já podemos iniciar com vinhos de vantagem, porquê o Manzanilla, jerez servido em 60ml (R$ 18) ou também o Bodega Bouza tannat 2019 (R$ 54 a taça 125 ml; R$ 278 a garrafa).

A proposta da mansão é trazer vinhos refinados de vários lugares do mundo – porquê Chile, Espanha, Uruguai, França e também do Brasil – e disponibilizá-los em um cardápio interessante.

Entre as pedidas, comidinhas ajudam na tarefa de bebericar e papear, porquê a oliva kalamata (R$ 22), pantumaca (R$ 24), com pão tostado, purê de tomates e anchovas, ou os pratos na brasa, porquê a linguiça de cordeiro picante (R$ 36) e a morcilla espanhola agridoce com nozes e passas (R$ 46).

Rua Jesuíno Pascoal, 16, Consolação, São Paulo – SP/  Tel.: (11) 99234-0145 / Horário de funcionamento: terça a sexta-feira das 18h às 24h; sábados das 13h às 24h e domingos das 13h às 18h.

Sede261

Cássia Campos, à esquerda, e Dani Bravin estão adiante dos negócios do bar de vinho Sede261 em Pinheiros / Divulgação

O Sede261 começou porquê um clube de vinhos na cidade – padrão que funciona até hoje – e se estabeleceu também porquê um bar em 2018 numa pequena mansão em Pinheiros. Tocado pelas sommelières Cássia Campos e Daniela Bravin, o projeto desde o início tem se engrandecido por trazer rótulos menos convencionais, em que sobressai uma interessante curadoria.

Informal, o bar na rua Benjamin Egas tem 10 lugares internos e outros na lajedo, e possui uma missiva com murado de 40 rótulos de vinhos em taça. Tanto no clube quanto na sede só entram na seleção garrafas que fogem do óbvio e passam pelo crivo da dupla.

Aos interessados no clube, há entrega de seis rótulos escolhidos a dedo pelas sommelières – entre eles, um rótulo restrito do clube. A caixa com as garrafas (R$ 620) pode ser adquirida de maneira avulsa ou por meio de assinatura semestral – as garrafas vêm acompanhadas de ficha técnica, de dicas de harmonização e sugestão de música.

Rua Benjamin Egas, 261 – Pinheiros, São Paulo – SP / Horário de funcionamento: de quarta a sexta-feira das 18h às 22h; sábados das 14h às 22h (segunda e terça somente eventos fechados).

Vino! Pinheiros

Balcão e mesas do Vino! Pinheiros, na Fradique Coutinho/ Divulgação

Situado na Fradique Coutinho, o Vino! oferece mais de 500 rótulos de vinho,e todos podem ser consumidos em taça, o que garante uma boa multiplicidade da bebida. O valor cobrado é exatamente o proporcional da garrafa, sem extras.

A mansão de pegada italiana funciona em dois pavimentos: o envolvente térreo abriga um balcão e algumas mesas. Já o piso superior conta com um deck com teto retrátil.

O menu foi recentemente repaginado e, entre as comidinhas há pedidas para compartilhar, porquê o atum com burrata (R$ 59) e arancini com cogumelos e nozes (R$ 28). Pizzas de levedação proveniente também entraram no menu, a exemplo da caprese e da toscana (ambas a R$ 49).

Dica: todas as terças, a mansão realiza uma noite peculiar para os fãs de espumantes, quando seis rótulos são selecionados e podem ser consumidos à vontade por R$ 76 por pessoa. Às quartas, um menu harmonizado com quatro aperitivos e quatro taças sai por R$110.

Rua Fradique Coutinho, 47, Pinheiros, São Paulo – SP / Tel.: (11) 2614-0145 / Horário de funcionamento (incluindo feriados): segunda a quinta-feira das 17h às 23h30; sexta e sábado das 17h à 0h30 / Reservas via telefone ou site.

Los Perros – Vinho no Boteco

Sob a batuta do sommelier Fabiano Aurélio, (ex Figueira Rubayat, Grand Cru e Rubi Wine Bar), o Los Perros serve vinhos “sem frescura”, porquê o próprio profissional gosta de rotular o negócio na rua Bela Cintra. Com o propósito de democratizar a bebida – que já começa no clima de boteco – a missiva conta com opções em garrafas e taças, a grande maioria tintos.

Os rótulos são provenientes de grandes produtores da bebida, porquê Portugal, Itália, Espanha, França e Chile – opções nacionais também não ficam de fora, porquê a sugestão da Domínio Vicari, projeto de lavradio familiar em Monte Belo do Sul (RS), focado na produção de vinhos de levedação espontânea com mínima mediação (R$ 159 o Alvarinho e o Merlot).

Entre as comidinhas, há entradas e petiscos, porquê as brusquetas (R$ 23, quatro unidades) e as croquetas de jamon (R$ 29, seis unidades) – o cardápio não é fixo, logo vale consultar as opções com a equipe do lugar.

Rua Bela Cintra, 806, Consolação, São Paulo – SP / Horário de funcionamento: segunda a quarta-feira das 16h às 23h; quinta-feira das 16h às 24h; sexta e sábado das 16h à 0h30; fechado aos domingos. 

Primitivo São Paulo

Lar em Pinheiros oferece mais de 300 rótulos com foco em vinhos naturais / Divulgação

O trabalho do par Rita Brandão e Eduardo Borges não começou na capital paulista, mas sim em Porto Contente com uma loja de queijos e vinhos naturais. O negócio no sul, porém, foi vendido para dar lugar ao Primitivo em São Paulo, que foi inaugurado em dezembro de 2020, ainda no auge da pandemia.

O nome da mansão em Pinheiros vêm da ancestralidade do que é servido: vinhos, pão, óleo, queijos e carnes curadas. Somente isso, porquê enfatiza Eduardo. Focado em rótulos naturais, os mais de 300 vinhos são servidos na mansão pelo mesmo valor de loja – o par também mantém um e-commerce.

O lugar fica na rua Ferreira de Araujo e conta com um aprazível recinto nos fundos com capacidade para 15 pessoas – ao todo o negócio acomoda 31 pessoas.

E uma novidade em primeira mão: neste mês, a mansão recebe os primeiros vinhos de importação própria com importantes produtores de vinho proveniente, porquê o Didier Grappe, da região do Promessa; o Lissner, da Alsácia; Jeremy Recchione, da Borgonha e o Le Grappin, de Beaujolais – todos da França. Boa notícia para os apreciadores de vinhos naturais.

Rua Ferreira de Araújo, 435, Pinheiros, São Paulo – SP / Horário de funcionamento: quarta, quinta e sexta-feira das 16h às 22h; sábado das 11h às 22h e domingos das 11h às 18h.

Ciao! Vino e Birra

Uma vez que o nome já denuncia, o Ciao! Vino e Birra opera porquê um gastrobar especializado em uma culinária regional italiana. Ricotta e Prosciutto, polenta alla carbonara, arancini, molhos para reprofundar o pão italiano e diversas massas tipicamente italianas configuram o cardápio.

Para escoltar, vai muito a missiva de vinhos, que compreende rótulos de diversos lugares, principalmente os tintos, os brancos e também os orgânicos. A mansão com varanda na rua Tutóia, no Paraíso, oferece ainda, a nós clientes, mais de 40 cervejas nacionais e importadas num envolvente rústico.

Rua Tutóia, 451, Paraíso, São Paulo – SP / Tel.: (11) 2306-3561 ou 2306-3541 / Horário de funcionamento: almoço de terça a quinta-feira das 12h às 15h, sábado das 12h às 18h e domingo das 12h às 16h; jantar de terça a quinta das 18h às 23h e sexta e sábado das 18h à 0h 

Prosa e Vinho

Localizado dentro da Galeria Metrópole, meio mercantil que é ícone na região meão, o Prosa e Vinho completou quatro anos em dezembro pretérito. A loja é tocada pelos sócios Daniela Peres e Rubens Lastri e as mesas possuem vista para a Terreiro Dom José Gaspar, no coração da República.

A espírito do negócio é descomplicado: os sócios focam em vinhos com bom custo-benefício e apostam numa pegada mais democrática e conseguível. A mensagem é: “tirar o vinho do pedestal e colocá-lo à mesa”.

Tintos, rosés, brancos e espumantes, há vinhos cá para todos os gostos, e a missiva vai mudando sempre. Vinhos laranjas, jerez, fortificados e de colheita tardia também aparecem. Comidinhas podem ser pedidas ao lado das taças e garrafas, porquê as empanadas argentinas da mansão assadas na hora e o mix de castanhas.

Terreiro Dom José Gaspar 106, República, São Paulo – SP / Tel.: (11) 3151-3692 ou WhatsApp: (11) 93271-4566 / Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira das 12h às 22h; sábado das 11h às 18h.

Wine Bar Weinkeller

Weinkeller começou porquê loja e hoje se divide entre wine bar e empório / Divulgação

O Empório Weinkeller conta com loja física na região de Cerqueira César e wine bar em conjunto com o restaurante Chef Tobias Linguiçaria, de Tobias Welsch, nos Jardins. Assim, o negócio foca em vinhos alemães orgânicos e biodinâmicos de pequenos produtores.

Dentro do restaurante, Vivien Kelber, sócia-diretora da Weinkeller, montou o Wine Bar Weinkeller, onde podemos provar uma gama de rótulos germânicos em taça – o portfólio também está disponível em garrafa tanto para consumo no lugar quanto para levar para mansão.

Os vinhos são escolhidos pelo par e mantêm o preço praticado na importadora. Assim, além do empório e do e-commerce, o par aposta no restaurante com wine bar para ser estimado ao lado de produtos artesanais – entre linguiças, sanduíches e pratos quentes.

Rua Simão Álvares, 484 – Jardins, São Paulo – SP / Tel.: (11) 95437-1966 / Horário de funcionamento do restaurante: quarta a sexta-feira das 12h às 15h e das 18:30h às 22h; sábado das 12h às 22h e domingo das 12h às 17h / Reservas via site

Clos Wine Bar e Bistrô

Clos serve murado de 130 rótulos e foca em bebidas naturais de mínima mediação / Divulgação

Na Vila Madalena, a simpática mansão do Clos Wine Bar oferece uma seleção de mais de 130 rótulos provenientes dos quatro cantos do mundo. O serviço abrange taça e garrafa com vinhos brancos, tintos, laranjas e pét-nats – espumante de método antigo que é sensação entre os fãs de vinhos naturais.

O foco do Clos, inclusive, é esse: vinhos e bebidas de mínima mediação. O interessante é que na missiva entram também cidras chilenas e cervejas Lambic da Bélgica, feitas a partir de métodos ancestrais.

E a cozinha segue a mesma pegada: ingredientes orgânicos, pequenos produtores, sazonalidade e foco vegetal são combinações trabalhadas na mansão. As receitas saem das mãos da chef Elisa Fernandes que, recorrentemente coloca à mesa ostras, mexilhões com batatas fritas e tartare de lagostim.

Rua Girassol, 310, Vila Madalena, São Paulo – SP / Tel.: (11) 94188-0199‬ / Horário de funcionamento: quarta-feira das 18h30 às 23h; quinta a sábado das 13h às 17h e das 18h30 às 23h; e domingo das 13h às 17h (fechado todo último domingo do mês) / Reservas via WhatsApp.




Brasil61

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também