Setor privado foi responsável por desenvolvimento de investimentos no Brasil, diz estudo

Por Brunialti Welinton

Entre 2016 e 2021, a parcela de investimentos na economia em relação ao Resultado Interno Bruto (PIB) cresceu de 15,52% para 19,17%, e, segundo um estudo do Núcleo de Estudos de Mercado de Capitais (Cemec), essa expansão ocorreu devido à subida nos investimentos por secção do setor privado.

Segundo o estudo, o resultado de 2021 refletiu um ciclo de retomada de investimentos posteriormente a crise econômica entre 2015 e 2016, mas que ganhou força principalmente de 2019 a 2021, mesmo com os efeitos da pandemia. Os três últimos anos são responsáveis por 2/3 do resultado do período.

Nesses anos, a taxa média de desenvolvimento de investimentos foi de 8% ao ano, quase o duplo da média entre 2016 e 2021, de 4,5%.

Pelos cálculos do Cemec, a relação investimentos/PIB poderia ter sido ainda maior caso os investimentos do setor público não tivessem recuado no período, caindo de 1,93% para 1,64%.

Com isso, o resultado positivo foi atribuído inteiramente ao setor privado, com os investimentos em relação ao PIB subindo de 13,59% em 2016 para 17,53% em 2021.

Segundo o Cemec, o resultado é “surpreendente” devido à “existência de capacidade ociosa, queda das expectativas desenvolvimento nos próximos anos e elevados níveis de incerteza”.

Ainda de entendimento com o estudo, a expansão no investimento privado foi ligada majoritariamente a dois setores, da indústria de construção e indústria de bens de capital para lavoura.

De 2016 até 2021, as taxas anuais de produção dos dois setores apresentaram desenvolvimento, mas a expansão foi ainda maior, quase o duplo, considerando somente o período de 2019 a 2021.

Para o instituto, os desempenhos positivos possuem causas distintas. No caso da indústria de construção, a expansão está ligada aos gastos maiores de famílias com reformas e manutenção durante a pandemia e pela queda na taxa de juros, reduzindo custos de financiamento e comercialização de imóveis.

Já em relação à indústria de bens de capital para a lavoura, o resultado estaria ligado ao poderoso desempenho da agropecuária e incentivo a investimentos para aumentar a produção em meio à subida nos preços de commodities e uma taxa de câmbio favorável a exportações, com o dólar valorizado.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Veja também