Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

Setor de eventos tem retomada com mercado aquecido e falta de profissionais

Por redação

Nunca se trabalhou tanto na empresa de eventos de Meire Medeiros. São reuniões de planejamento, contato com fornecedores, locação de material e novos contratos. Segundo Meire, CEO do Grupo MM Eventos, o setor de eventos está aquecido em 2022.

“O mercado que no ano pretérito começou a se restabelecer dos prejuízos da pandemia, oriente ano decolou”, afirmou.

Somente na empresa de Meire, com sede na capital paulista, a partir da segunda quinzena de março de 2021, o número de novas solicitações de eventos aumentou 213%.

O caso de Meire não é uma exceção. O que está acontecendo em sua empresa e por todo o Brasil é que os contratos estão chegando com prazos menores para o planejamento.

Por exemplo, uma convenção, que antes era organizada em 60 dias, agora deve permanecer pronta em um mês. Esse fenômeno se relaciona com a demanda reprimida. Vários eventos que não aconteceram durante a pandemia, agora estão sendo realizados ao mesmo tempo.

Com o mercado aquecido, o problema tem sido encontrar profissionais para preencher as vagas que foram abertas.

A dificuldade para preencher as vagas é tanta que a empresa de Meire precisou convencer a atendente de convidados Lucilene Ferreira da Silva a retornar para o setor de eventos.

Ela estava trabalhando na espaço da aviação e agora retornou a trenar a função ocupou por 6 anos no atendimento a convidados, incumbência que precisou permanecer de lado durante o momento mais crítico da pandemia.

Assim uma vez que Lucilene, muitos outros trabalhadores também saíram da espaço, mas não retornaram. O setor de eventos foi um dos mais atingidos.

Para o presidente da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), Doreni Caramori Júnior, o fenômeno está relacionado aos efeitos da pandemia que o setor ainda sente.

“É um efeito que, sem incerteza, impacta o nosso resultado dificulta a entrega dos eventos no padrão de qualidade que gostaríamos. Para manter o padrão de qualidade você precisa contratar eventualmente pessoas custando mais custoso e isso diminui a margem dos eventos, é um impacto indireto da pandemia em seguida retomada”, explicou.

Outro exemplo é na vivenda de shows onde o diretor mercantil Christian Tedesco trabalha. No sítio, o número de eventos está até maior do que antes da pandemia.

“São pelo menos quatro por semana. Por cá também está ocasião a temporada de contratações”, relatou Tedesco. “Muito embora não tenhamos deposto na pandemia, nós já contratamos algumas posições específicas e estamos com vaga em crédulo para outras posições fixas. Sem descrever os eventuais os freelancers que é um volume muito grande”.

Em 2021 o o setor de eventos gerou murado de 268 milénio novas vagas de trabalho. Pelo atual ritmo, a previsão é de que oriente ano o número seja ainda maior.

Na tentativa de renovar o mercado, a Abrape já fez um convênio com o Serviço Brasílio de Escora às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para formar novos profissionais. O vestuário é: hoje, oportunidades não faltam.

“Não só nós, uma vez que todos os envolvidos na calabouço, estão com oportunidades de trabalho. Logo, uma vez que dissemos, quem se preparar tem oportunidade. E vamos estar tá cá, abertos para quem quiser vir”, diz Tedesco.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também