Senadores debatem viabilidade da lhaneza de CPIs em ano eleitoral

Por Brunialti Welinton

Em debate realizado pela CNN nesta sexta-feira (24), os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Marcos do Val (Podemos-ES) comentam sobre a viabilidade da instalação de Comissões Parlamentares de Questionário (CPI) em ano eleitoral.

Com o reajuste no preço dos combustíveis anunciado pela Petrobras e com o escândalo de depravação no Ministério da Instrução, os parlamentares se articulam para recolher assinaturas suficientes para a lhaneza de duas CPIs nos próximos dias.

Para presidente do Senado FederalistaRodrigo Pacheco(PSD-MG), as investigações da CPI seriam prejudicadas em virtude da proximidade do pleito.

“Evidentemente, sobre o paisagem de conveniência e de oportunidade, sem desconhecer a influência do instituto da CPI, no momento pré-eleitoral e muito próximo das eleições, isso de indumento é um pouco que prejudica o escopo de uma CPI, que é uma investigação isenta, que é o tempo necessário e a própria elaboração dela e de todos os senadores dedicados”,  afirmou o senador.

Marcos do Val concorda com o presidente da Mansão. “Eu vejo fora de momento a lhaneza de uma CP em que segmento dos senadores participem remotamente ao tentar conciliar com a sua pré-campanha. Não vai ser um trabalho minucioso, muito feito, e vamos atropelar a PF”, argumenta o parlamentar do Podemos, que ressalta que é necessário encarregar no trabalho da Polícia Federalista e do Ministério Público Federalista.

Randolfe ressalta que tem absoluta crédito nas instituições, mas aponta preocupação com a suposta “interferência” relatada pela PF. “Por ter tanta crédito é que necessita uma CPI, que precisa socorrer, dar a retaguarda política para o trabalho deles. Eu concordo que se a gente tivesse totalidade segurança e conseguíssemos prometer que o trabalho dessas instituições não teria interferência de ninguém e que ia ser isento, não precisaria de nenhuma CPI”, aponta.

O senador da Rede Sustentabilidade é em prol da lhaneza das duas comissões, mas argumenta que, no caso da CPI da Petrobras, ela não é necessariamente necessária. “Não vou ser incoerente em confirmar uma e a negar outra. A CPI da Petrobras, o presidente da República poderia responder com uma canetada, mandar uma MP [medida provisória] sobre o lucro e dividendos da Petrobras, que são gigantescos e mudar a política de preço de paridade de preços”, exemplifica.

Do Val se mantém firme. “Eu sou contra as duas no momento em que estamos”.

Assista ao debate completo no vídeo supra.

Debate
CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Veja também