Segurança de Lula é visto com submetralhadora em sintoma em Campinas

Por redação

Um segurança da equipe do ex-presidente e pré-candidato ao Planalto Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi visto armado enquanto fazia a escolta do petista. A arma é uma submetralhadora HK MP5, de fabricação alemã, segundo fontes ouvidas pela CNN.

A situação ocorreu na última quinta-feira (5) em Campinas, no interno de São Paulo, onde o ex-presidente cumpria agenda da pré-campanha. O vídeo do agente portando a arma repercutiu nas redes sociais nesta quinta.

A cena foi gravada por manifestantes que organizaram um protesto contra Lula. Os seguranças faziam a inspeção para a passagem do sege da comitiva do ex-presidente, que deixava um condomínio. Um varão de camisa azul segurava uma submetralhadora.

A assessoria de Lula confirmou que o agente fazia a segurança do ex-presidente e que a equipe é cedida pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), lembrando que isso é uma regalia de todos os ex-presidentes da República.

A CNN procurou o GSI em Brasília, mas ainda não houve retorno.

Sancionada em 1986, a lei 7.474 determina que, ao término dos mandatos, os ex-presidentes têm recta a utilizar “os serviços de quatro servidores, para segurança e suporte pessoal, muito porquê a dois veículos oficiais com motoristas, custeadas as despesas com dotações próprias da Presidência da República”.

A lei determina ainda que o Ministério da Justiça “responsabilizar-se-á pela segurança dos candidatos à Presidência da República, a partir da homologação em convenção partidária”. Conforme o calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para as eleições deste ano, as convenções partidárias que irão definir oficialmente as candidaturas serão realizadas entre 20 de julho e 5 de agosto.

Manifestantes

Ao transpor do lugar em Campinas, o sege em que Lula estava foi surpreendido por um grupo de militantes bolsonaristas, que vestiam camisetas amarelas e gritavam palavras de ordem contra o petista. Os seguranças dispersaram os opositores e liberaram a passagem do carro.

Ainda por meio de nota, a assessoria de prensa do ex-presidente disse que “não houve nenhum confronto físico, dano, ou mesmo cerco” ao veículo.

Afirmou também que “o ex-presidente cumpriu toda a sua agenda em Campinas, que terminou com um ato com milhares de pessoas na Unicamp”.

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também