Ranking divulga as dez melhores cidades para se viver em 2022

Por Brunialti Welinton

Está considerando uma grande mudança nascente ano? Você pode querer pensar no Canadá ou na Europa Ocidental.

O ranking anual das cidades mais habitáveis ​​do mundo acaba de ser divulgado pela Economist Intelligence Unit (EIU), e o Global Liveability Índice de 2022 mostra algumas diferenças marcantes em relação ao ano anterior.

A EIU, que é uma organização mana da “The Economist”, classificou 173 cidades ao volta do mundo em uma variedade de fatores, incluindo assistência médica, taxas de criminalidade, segurança política, infraestrutura e aproximação a espaços verdes.

Grandes vencedores

No universal, a Europa dominou a lista, com seis posições no top 11 (houve um empate no 10º lugar). Copenhague, que a CNN declarou a capital do cool da Europa em dezembro de 2021, ficou em segundo lugar no Índice Global de Habitabilidade.

A Suíça foi o único país da Europa a ter duas entradas no top 10, com Genebra na sexta posição e Zurique em terceiro.

No entanto, o país vencedor universal foi o Canadá, que teve três de suas cidades representadas – Calgary, Vancouver e Toronto.

“As cidades que estavam no topo de nossos rankings antes da pandemia se recuperaram com sua segurança, boa infraestrutura e serviços, além de atividades de lazer agradáveis”, escreveram os autores do índice.

Conta-gotas grandes

Auckland, na Novidade Zelândia / Getty Images

O vencedor do ano pretérito, Auckland, na Novidade Zelândia, saiu do top 10 em 2022 para um surpreendente 34º lugar.

A vizinha Austrália teve a queda mais notável no ranking deste ano. Apesar de ter liderado a lista no pretérito, Melbourne caiu para o 10º lugar em 2022.

Em 2021, a Austrália dominou o índice EIU, com Brisbane, Adelaide e Perth se juntando a Melbourne no top 10. Leste ano, eles ocupam 27º, 30º e 32º, respectivamente.

Wellington, capital da Novidade Zelândia, ficou em quarto lugar em 2021, mas também saiu do top 10 deste ano.

Embora a Europa tenha tido uma exibição muito boa em 2022, faltam dois destinos – Londres e Paris. O aumento das despesas de vida desempenhou um papel em ambas as metrópoles, assim porquê a decisão do Reino Unificado de deixar a União Europeia.

O conflito global contínuo foi o fator número um para estabelecer quais países ficaram no final da lista. Damasco, Lagos e Trípoli foram classificadas porquê as três cidades menos habitáveis ​​do mundo.

Enquanto isso, Kiev não foi analisada nascente ano devido à guerra em curso na Ucrânia.

Habitabilidade versus dispêndio de vida

No início deste mês, a empresa de mobilidade global ECA International divulgou sua lista das cidades mais caras do mundo para se viver, com foco em expatriados.

Hong Kong teve a duvidosa honra de permanecer em primeiro lugar, com Novidade York, Genebra, Londres e Tóquio completando os cinco primeiros.

A única cidade a desabrochar nos índices ECA e EIU foi Genebra.

O ranking das cidades mais caras foi determinado somente por fatores econômicos – aluguel médio, preço do gás e similares – em oposição à lista da EIU, que analisa as atrações culturais de uma cidade, porquê museus e shows, muito porquê infraestrutura, porquê transporte público. .

Confira o Top 10 do Índice Global de Habitabilidade de 2022:

  1. Viena, Áustria
  2.  Copenhague, Dinamarca
  3.  Zurique, Suíça
  4. Calgary, Canadá
  5. Vancouver, Canadá
  6. Genebra, Suíça
  7. Frankfurt, Alemanha
  8. Toronto, Canadá
  9. Amsterdã, Holanda
  10. Osaka, Japão e Melbourne, Austrália (empate)

Brasil61

Compartilhe este conteúdo

Veja também