Quem fez a reforma trabalhista tem mentalidade escravocrata, diz Lula

Por redação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT ao Palácio do Planalto, voltou a criticar a reforma trabalhista nesta quinta-feira (12).

“A mentalidade de quem fez a reforma trabalhista e a reforma sindical é a mentalidade escravocrata, a mentalidade de quem acha que o sindicato não tem que ter força, que o sindicato não tem representatividade”, afirmou Lula em encontro com sindicalistas em São Paulo.

“[Em] um mundo desenvolvido, em que você tem economias fortes, você tem sindicato possante”, acrescentou o pré-candidato.

A reforma trabalhista foi aprovada durante o governo Michel Temer (MDB).

Lula havia mencionado, pouco antes, uma passagem de seu governo para proteger a posição dos trabalhadores.

“Vou dar um exemplo pra vocês. Na crise de 2008 e 2009, eu fiz R$ 47 bilhões em desoneração. Toda a desoneração que eu fiz era compartilhada com o movimento sindical. Tinha que ter a contrapartida. Nós vamos fazer um mercê para o empresário, e o que o trabalhador ganhou nesse mercê? Vocês participarem das mesas de negociação. Porque, senão, você distancia os interesses na mesa de negociação. E você vai tornando o trabalhador cada vez mais frágil.”

Lula também afirmou que o estado deve praticar a função de louvado em negociações entre empresas e trabalhadores.

“Temos que ter consciência de que a relação capital e trabalho não pode continuar que nem hoje. O Brasil não será um país urbano se a gente não tiver a compreensão que as duas partes precisam ser tratadas em paridade de condições. O estado não tem que tomar segmento de um lado ou do outro. O estado tem que funcionar porquê louvado para que as partes possam negociar aquilo que interessa ao conjunto, sabe, tanto dos trabalhadores quanto dos empresários. E qualquer contrato vale muito.”

Depois da asserção de Lula nesta quinta-feira (12), a CNN procurou o ex-presidente Michel Temer e aguarda a posição dele sobre a enunciação do petista.

Texto publicado por Wellington Ramalhoso

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também