Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

Quase dois terços das crianças ucranianas foram deslocadas no conflito, diz Unicef

Por redação

Quase dois terços das crianças ucranianas foram deslocadas em unicamente seis semanas e tapume de metade das que permaneceram na Ucrânia podem enfrentar instabilidade cevar, disse Manuel Fontaine, diretor de emergências do Fundo das Nações Unidas para a Puerícia (Unicef), nesta segunda-feira (11).

“Das 3,2 milhões de crianças estimadamente que permaneceram em suas casas, quase a metade pode estar sob o risco de não ter comida o suficiente. Ataques na infraestrutura do sistema hídrico e cortes de robustez deixaram tapume de 1,4 milhões de pessoas sem entrada à chuva na Ucrânia. Outras 4,6 milhões possuem unicamente entrada restringido”, disse Fontaine em comentários no Juízo de Segurança da ONU.

“Em unicamente seis semanas, quase dois terços de todas as crianças ucranianas foram deslocados. Elas tiveram que deixar tudo para trás: suas casas, suas escolas, e em muitos casos, membros das suas famílias.”

Fontaine acrescentou que a situação para crianças na Ucrânia é ainda pior em Mariupol e Kherson, “onde crianças e suas famílias estão há semanas sem chuva fluente e serviços sanitários, um fornecimento normal de comida, e cuidados médicos. Estão se abrigando em suas casas e no subterrâneo, esperando que as bombas e a violência parem.”

O diretor de emergências da Unicef também expressou suas preocupações sobre a presença de “explosivos remanescentes da guerra”, que podem expor crianças à morte e a ferimentos, assim uma vez que a interrupção da ensino infantil em todo o país.

“Em todo o país, o fechamento das escolas está impactando o tirocínio – e o porvir – de 5,7 milhões de garoto em idade escolar e de 1,5 milhões de estudantes de níveis mais altos. Na região de Donbas, uma geração inteira de crianças já viu suas vidas e ensino suspensas durante os últimos oito anos de conflito”, disse Fontaine.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também