Primeiros nônuplos do mundo comemoram natalício de um ano no Marrocos

Por redação

Os nônuplos mundialmente famosos nascidos de um par do Mali, na África Ocidental, comemoraram seu primeiro natalício com uma pequena sarau em moradia.

Halima Cissé e Abdelkader Arby deram as boas-vindas a cinco meninas e quatro meninos, pesando entre unicamente 0,49 e 1,08 kg, na clínica Ain Borja em Casablanca, no Marrocos, em 4 de maio do ano pretérito.

Doze meses depois, os nove bebês milagrosos estão prosperando e alcançando novos marcos de desenvolvimento, seu pai, Arby, compartilhou.

“Eles estão todos engatinhando agora. Alguns estão sentados e podem até marchar se segurarem em alguma coisa”, disse ele à BBC.

Discutindo sua experiência de gerar os bebês, muito porquê sua filha de três anos Souda, Arby disse que, embora “não seja fácil”, foi ótimo ver “todos os bebês em perfeita saúde, estamos aliviados. Esquecemos tudo”.

O par marcou o primeiro natalício dos irmãos com uma reunião com a presença de seus vizinhos e enfermeiras da clínica.

Os nônuplos fizeram história porquê o maior número de bebês que nasceram em um único parto e sobreviveram posteriormente nascerem prematuramente por cesariana, depois de 30 semanas de gravidez de Cissé.

O recorde mundial anterior do Guinness World Records era de oito bebês, nascidos em 2009, de Nadya Suleman, moradora da Califórnia, popularmente conhecida porquê “Octomom”.

Antes do promanação, Cissé e Arby foram levados para o Marrocos pelo governo do Mali para que ela pudesse receber cuidados médicos especializados. Foi necessária uma equipe de mais de 30 médicos e paramédicos para ajudar os bebês a nascerem com segurança, disse a clínica em enviado na estação.

Arby disse à BBC que as crianças ainda estão sob os cuidados da clínica onde nasceram e vivem em um “apartamento hospitalar” em Casablanca, que pertence aos proprietários da clínica.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), murado de 15 milhões de bebês nascem prematuramente a cada ano, sendo a maioria na África e no sul da Ásia.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também