Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

PP diverge sobre financiamento de campanha e suspende reunião

Por redação

Os critérios de distribuição dos recursos financeiros para financiar campanhas eleitorais motivaram uma divergência dentro de um dos principais partidos da base aliada do presidente Jair Bolsonaro (PL), o PP, do ministro Ciro Nogueira e do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

A Executiva da legenda se reuniu na tarde desta terça-feira (7) para debater os critérios de distribuição de R$ 338 milhões do fundo eleitoral. A teoria da cúpula era impor um novo critério: o financiamento de vagas futuras. Ou seja, destinar recursos para as candidaturas mais competitivas nos estados. Nas últimas eleições, a preferência foi por financiar candidatos que estavam já com procuração. A divergência meão se deu aí, o que levou o partido a suspender a reunião e delongar a decisão.

“O critério é a vaga a ser conquistada. Queremos ocupar o maior número de vagas e para isso é preciso financiar as candidaturas com mais chance de vitória”, disse à CNN o presidente do PP, deputado Claudio Cajado (BA).

O problema é que há uma avaliação política sobre as chances de cada candidatura a serem feitas de modo que cada estado faz uma projeção, que deve ser referendada pela cúpula da legenda. Isso levantou divergências lideradas pelo deputado federalista Marcelo Aro (PP-MG). “Minas Gerais achou que ficaria prejudicado. E eu preferi suspender a sessão para que os critérios ficassem mais claros”, disse Cajado.

Procurado, Marcelo Aro não se manifestou.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também