Para curtir o insensível: destinos que combinam com o inverno na América do Sul

Por redação

Lareira acesa, vinho na taça, comidinhas para compartilhar e um ventinho gelado que nos deixa agasalhados o dia inteiro. O que isso quer proferir? Que as temperaturas caíram e que o inverno se aproxima! Neste ano, 21 de junho é a data que marca o início desta novidade estação, período que já bate à nossa porta.

E por que não curtir as temperaturas amenas em qualquer fado próximo? Seja em cidadezinhas charmosas no Brasil ou ainda em países vizinhos, porquê Argentina e Chile, a América do Sul está recheada de cantinhos especiais com cenários deslumbrantes que são ideais para considerar o friozinho com calma.

Junte a isso vinhos, uma gastronomia refinada e passeios surpreendentes e temos um combo perfeito para as férias de julho e o restante do inverno – que se alonga até setembro.

Quer destinos românticos para serem curtidos a dois? A América do Sul tem. Deseja saber vinícolas e tomar os melhores vinhos do mundo? Tem também. Ou ainda debutar a praticar esportes de neve e testar esquiar pela primeira vez? Também é provável.

O interessante é que alguns destinos também são relativamente próximos das capitais e dos grandes centros urbanos, o que garante certa facilidade de serviços e locomoção.

A seguir, confira quatro sugestões de destinos muito próximos do Brasil – sendo uma delas vernáculo – para inspirá-la a programar uma viagem privativo em meio às baixas temperaturas de nosso continente:

Argentina: os encantos de Mendoza

Vinhedo de Malbec no basta da Serrania dos Andes em Luján de Cuyo / Getty Images

Mendoza é emoldurada pela venustidade incomparável dos Andes, cinturão de montanhas mais extenso do mundo. Distante muro de milénio quilômetros de Buenos Aires, quase na mote com o Chile, a cidade é um invitação irrecusável para bons vinhos – é daqui que sai o tão almejado Malbec prateado – e também para boas experiências gastronômicas e sota.

A região de Mendoza é uma das maiores áreas produtoras de vinhos da América Latina, e possui mais de milénio vinícolas. Haja taça! Aliás, a cidade possui um charmoso meio arborizado e neve no inverno. Apesar das vinícolas adquirirem um vista mais acinzentado e com folhas secas durante levante período, ainda vale o passeio pela região para se jogar nas degustações de vinhos e curtir o friozinho no melhor estilo.

Capital da província de mesmo nome, a região abriga o imponente Monte Aconcágua, com seus 6.962 metros, uma das maiores montanhas do mundo e a mais subida fora da Ásia – um dos passeios mais visados por cá também.

A província de Mendoza divide-se em quatro principais regiões: a capital Mendoza, Maipú e Luján de Cuyo, muro de 20 km do meio, e Vale de Uco, mais afastada, a 80km do meio. Tudo por cá é encantador: o cenário mistura picos que se mantêm nevados o ano todo e parreirais que parecem infinitos.

Além de vinícolas consagradas, porquê a Viña Cobos (em Luján de Cuyo) e a Família Zuccardi (em Maipú), a região abriga hotéis sofisticados, restaurantes de gastronomia incomparável e também parques, praças e mercado municipal no meio da própria cidade de Mendoza.

Prepare a taça e deguste Mendoza com calma, pois é um fado para aproveitar o insensível e tomar um bom vinho – melhor a dois!

  • O que fazer? Visitar vinícolas, saber o meio da cidade e regiões próximas, manducar em restaurantes locais e aproveitar o insensível.
  • Onde permanecer? Tanto Mendoza quanto as outras cidades e regiões vinícolas próximas oferecem acomodações requintadas e perfeitas para a viagem no inverno. Saiba onde se hospedar no meio de Mendoza, no Vale do Uco e em Luján de Cuyo.

Uruguai: a charmosa Colônia do Sacramento

Além dos pontos turísticos de Montevidéu, porquê o Teatro Sólis, o Mercado do Porto e a Feira Tristan Navarja, e o badalo no verão de Punta del Oriente e José Ignacio, o Uruguai também suplente cantinhos charmosos para curtirmos o inverno.

É nesta idade do ano que Colônia do Sacramento, a uma hora de paquete de Buenos Aires e a três horas de ônibus de Montevidéu, ganha contornos ainda mais românticos. É uma cidadezinha pequena com casinhas simples e vista para o mar às margens do Rio da Prata que pode ser aproveitada em pouco tempo, porquê em um final de semana e também numa viagem casada à capital do Uruguai.

O lugar reúne história, cultura, bons hotéis, restaurantes e um lindo pôr do sol. Com as temperaturas muito amenas no inverno, Colônia é daqueles lugares gostosos para caminhar e se perder no tempo, onde marchar em seu meio histórico é saber um pouco mais da história da cidade. As Fortificações, as Ruínas do Convento de São Francisco do Xavier e a Basílica do Santíssimo Sacramento são algumas das atrações por cá.

O pôr do sol no farol também arranca suspiros e é um espetáculo à segmento que reúne os turistas no final do dia. O clima durante o inverno fica perfeito para apreciarmos uma parrilla acompanhada de um belo vinho uruguaio.

Caso queira desenredar outros locais próximos, a dica é partir para a vizinha Carmelo, antiga produtora de vinhos, a uma hora de coche.

  • O que fazer? Visitar o centrinho, considerar o pôr do sol, e manducar uma parrilla junto de um vinho uruguaio no friozinho do inverno.
  • Onde permanecer? Para se acomodar em Colônia do Sacramento há alguns hotéis muito charmosos, entre eles o Charco Hotel. Hotéis de rede, outros menores e acomodações em sites de aluguel também dão conta do recado.

Chile: estações de esqui próximas a Santiago

Território longo e vizinho à Argentina, vários são os lugares do Chile que nos reservam cenários espetaculares, seja em meio à neve ou ainda ao lado de vinícolas.

Caso deseja esquiar pela primeira vez e se introduzir no mundo dos esportes na neve, o Valle Nevado pode ser uma boa opção. Uma das maiores áreas de esqui da América do Sul, o Valle Nevado fica a somente 90 minutos da capital Santiago e conta com vista privilegiada para a Serrania dos Andes – a 3 milénio metros supra do nível do mar – e infraestrutura completa de lazer para todas as idades.

Os serviços no multíplice incluem aulas de esqui e snowboard, spa, fitness center, bares, pubs e restaurantes de diferentes tipos de culinária. O Valle Nevado oferece três opções de hospedagem, em que mantém o padrão em todos. São eles: Tres Puntas, Puerta del Sol e Valle Nevado, com três, quatro e cinco estrelas, respectivamente.

Caso queira fugir um pouco desse agito, a estação de esqui Portillo é um bom cenário para quem quer aproveitar a temporada de neve. A duas horas do aeroporto de Santiago, possui estrutura completa de hospedagem, lazer e entretenimento para diferentes idades, contando com mais de 30 pistas para todos os níveis de esquiadores e snowboarders.

Encravado na Serrania dos Andes, o hotel de Portillo construído na dezena de 1940 fica de frente ao belíssimo Lago del Inca. Dissemelhante de outras estações, o hotel não possui estabelecimentos comerciais em seus periferia, o que faz dele um fado quase que intocado.

  • O que fazer? Esqui e snowboard, aulas de esportes na neve, saber os cenários surpreendentes da Serrania dos Andes e aproveitar a temporada de neve com temperaturas inferior de zero.
  • Onde permanecer? O Valle Nevado conta com três hotéis, o Tres Puntas, Puerta del Sol e Valle Nevado, com três, quatro e cinco estrelas, respectivamente. Já a estação de esqui Portillo conta com o histórico Hotel Portillo e outras duas instalações mais em conta, o Octagon, espaço anexa ao hotel com 16 apartamentos menores e mais simples; e o Inca Lodge, com quartos e banheiros compartilhados, muito procurado por mochileiros.

Brasil: Terreno dos Cânions, no sul




Pequena cidade de pouco mais de 6 milénio habitantes no Rio Grande do Sul, Cambará do Sul é, na verdade, porta de ingresso para uma grandiosidade sem término. Conhecida porquê a Terreno dos Cânions, é cá que fica o maior conjunto de cânions da América do Sul – muro de 69 ao todo.

Enormes desfiladeiros, cachoeiras, vales, Mata Atlântica e florestas de araucárias formam paisagens estonteantes, as quais são divididas entre o planalto gaúcho e a planície catarinense. Distante muro de 190 km de Porto Satisfeito, o fado é ideal para um turismo de contemplação e proeza, com cenários surpreendentes e baixíssimas temperaturas, pois fica a mais de milénio metros supra do nível do mar.

Mesmo fora do inverno, a sensação térmica chega a atingir 0°C logo nas primeiras horas da manhã em determinados dias. Cá é geral acordarmos cedinho e ver os dias amanhecendo com uma possante névoa.

A região no sul do Brasil é ideal para reservar um quarto numa das pousadas ou pequenos hotéis e se conectar com o friozinho da serra e contemplar a natureza, se desligando da correria dos grandes centros urbanos. O Hotel Parador, por exemplo, é uma joia deste pedaço, com acomodações luxuosas feitas no estilo “casulo” com vista para as serras.

Dois grandes parques são as estrelas daqui, em que oferecem passeios imperdíveis: o Parque Pátrio Aparados da Serra e o Serra Universal, que possuem cachoeiras, trilhas, mirantes e famosos cânions.


Brasil61

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também