Pacheco vai esperar a reunião com líderes partidários para resolver o sorte da CPI

Por Brunialti Welinton

Nos bastidores, oposição está otimista sobre a instalação do pedido de investigação parlamentar, pois o presidente da Câmara é divulgado uma vez que um constitucionalista

Marcos Oliveira/Sucursal SenadoSenador Rodrigo PachecoLíder do Senado, Rodrigo Pacheco, cria suspense ao não resolver nesta semana a CPI do MEC

O suspense sobre a instação ou não da CPI (Percentagem Parlamentar de Questionário) do MEC (Ministério da Instrução), apresentada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), na terça-feira, 28, continua. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciou que irá se manifestar sobre o pedido de instalação dessa e de outras CPIs, que estão na fileira, depois da reunião com os líderes dos partidos, que acontece na próxima segunda-feira, 4. O requerimento protocolado pelo senador Rodrigues tem o objetivo de averiguar as suspeitas de tráfico de influência e depravação para a liberação de recursos públicos que pesam sobre o ex-ministro Milton Ribeiro e dois pastores. Eles já são escopo da investigação Entrada Pago, da Polícia Federalista (PF).

Desde que as denúncias sobre as irregularidades da pasta foram apresentadas, Rodrigues vem recolhendo assinaturas dos senadores. Porém só conseguiu reunir o mínimo necessário, 27 nomes (e depois  estender a lista para 31 ), depois da prisão relâmpago de Ribeiro na quarta-feira, 22, pela PF. O ex-ministro foi solto no dia seguinte, na quinta, 23, quando o juiz federalista Ney Bello, do Tribunal Regional Federalista da 1ª Região, concedeu liminar revogando a prisão preventiva.

A perspectiva nos bastidores é de que Pacheco deve admitir o pedido de instalação da CPI do MEC, pois o requerimento atende todos os requisitos necessários de convénio com o código da Mansão: indumentária determinado, número mínimo de assinaturas e tempo de funcionamento das comissões. Apesar de postergar para a semana que vem a decisão, o presidente é divulgado por ser um constitucionalista, e por isso Rodrigues e seus apoiadores estão otimistas. Há outras três CPIs protocoladas há mais tempo, que partiram da base governista, que também aguardam o aval Pacheco. São as CPIs das Obras Inacabadas, das ONGs e do Transgressão Organizado.

 

 

Manadeira: Sucursal Senado



Jovem Pan

Compartilhe este conteúdo

Veja também