Onde os chefs comem? Com Martin Casilli, do Grupo Sky Hall, em São Paulo

Por redação

Um dos lugares favoritos da puerícia do chef Martin Casilli era a cozinha de sua tia-avó. Ali, ele era convidado a provar novos sabores e fazer grandes descobertas. Uma delas? Aprender que os menus kids dos restaurantes definitivamente não tinham sido criados para ele que, aos 10 anos, já curtia camarão e risotos elaborados.

Os anos se passaram e a paixão pela cozinha sempre esteve com a labareda acessa, mas, na hora de escolher a profissão, Martin decidiu atender aos desejos do pai e foi para a engenharia. A cozinha, portanto, continuou porquê um refúgio na rotina cansativa do dia a dia, até que surgiu a chance de ir para o programa “Masterchef”, da TV Bandeirantes.

Passada a temporada no programa, Martin percebeu que não havia porquê fugir: seu lugar era mesmo entre panelas. Em 2017, ele realizou o sonho de ter o próprio restaurante ao inaugurar o Sky Hall Terrace Bar. E, em 2021, o sonho se expandiu com a inauguração do Sky Hall Garden Bar. As casas apostam na cozinha contemporânea e envolvente relaxado e entusiasmado, que fazem olvidar a loucura da capital paulista.

E mesmo entre a rotina agitada de comandar dois restaurantes, uma legado segue viva no dia a dia do chef Martin Casilli: desenredar novos sabores, um dos seus hobbies favoritos. E, agora, ele compartilha alguns dos restaurantes que mais gosta na cidade de São Paulo.

Make Hommus Not War

Make Hommus Not War funciona unicamente via delivery, mas em breve terá um espaço físico / Anderson Freire/Divulgação

Para mim, o projeto do Fred e da Talita Caffarena traz o melhor do Oriente Médio desde o Firin Salonu – que também é deles, mas está pausado por enquanto. No Make Hommus Not War, eles conseguem servir uma repasto balanceada e com ótimo dispêndio. É o melhor hommus da cidade e, entre os pratos, meu destaque é para o hommus dolma, que traz minitomates recheados com arroz, castanhas e especiarias. Simplesmente divino. Por enquanto, funciona unicamente via delivery, mas em breve terão um espaço físico.

Somente delivery. Pedidos via Rappi ou delivery próprio; linkr.bio/makehommus – São Paulo, SP / Horário de funcionamento: terça a sexta, das 11h30 às 14h30 e 18h às 22h30, sábado, das 12h às 16h e 19h às 22h, domingo, das 12h às 16h. Não abre às segundas-feiras. 

Omotebako

Shari, o arroz usado nos sushis, do chef Tadashi / Rubens Kato/Divulgação

O chef Tadashi Shirashi conseguiu levar a outro patamar o – já muito bom – sushi servido na cidade de São Paulo. No Omotebako, ele serve um omakase completo, colocando lado a lado o saudação ascendente às técnicas e a originalidade singular para a elaboração de pratos impecáveis. Prove o shari do chef, pois é o de mais tá nível que já comi por cá.

WhatsApp (11) 97505-2173 e o endereço é divulgado na confirmação da suplente. 

Mica

Salada de tofu com tomates do Mica / Divulgação

Localizado na caótica rua Guaicuí, em Pinheiros, o Mica é um misto de restaurante e bar e um refúgio para fazer bons encontros. A comida e os coquetéis são executados com muita técnica e de maneira muito descontraída. A salada de tomates com tofus marinados é viciante ao mesmo tempo em que é a mais simples que pode ser.

Rua Guaicuí, 33, Pinheiros – São Paulo, SP / Tel. (11) 3360-2608 / Horário de funcionamento: segunda a sábado, das 12h às 16h e 19h às 23h30, domingo, das 12h às 22h.

Animus

As criações da chef Giovanna Grossi, do Animus/ Thays Bittar/Divulgação

O Animus é comandado por Giovanna Grossi, que está entre os nomes que considero uma das grandes forças do nosso país. Apesar de jovem, ela já tem várias conquistas, porquê ser presidente da equipe do Bocuse D’Or Brasil. Por cá sentimos a leveza e a destreza que ela e a sua equipe têm. As vagens assadas e a tamanho de creme de cenoura são simplesmente imperdíveis.

Rua Vupabussu, 347, Pinheiros – São Paulo, SP /Tel.: (11) 2371-7981 / Horário de funcionamento: almoço de terça a sexta, das 12h às 15h, sábado e domingo, das 12h às 16h30 e jantar de terça a sábado, das 19h às 23h.

Bar Boca de Ouro

Drink Macunaima do Boca de Ouro
Drinque macunaíma / Pablo Lobo/Divulgação

É impossível fazer essa lista sem trazer o refúgio da boemia moderna. Sou cliente do Boca – porquê chamo carinhosamente – há pelo menos 7 anos e sempre encontro refúgio nos clássicos, porquê a acelga apimentada e o famoso bolovo. O Renato Martins e o Arnaldo Hirai continuam com uma sintonia incrível, que é traduzida na sua forma única de receber todos os rebentos da noite paulistana.

Rua Cônego Eugênio Leite, 1121, Pinheiros – São Paulo, SP – Tel. (11) 4371-3933 / Horário de funcionamento: terça e quarta, das 18h às 24h, quinta a sábado, 18h às 2h, domingo: fechado.




Brasil61

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também