Onde os chefs comem? Com Eduardo Ortiz e Luana Sabino, do Metzi, em São Paulo

Por redação

Ela é uma brasileira que já passou por casas renomadas em São Paulo, porquê o Arturito, o Tuju e o Petí. Ele é um mexicano oriundo de Oaxaca com experiência em restaurantes locais que apostavam nas tradições do país.

Mais do que exclusivamente no paixão, porém, o parelha Luana Sabino e Eduardo Ortiz também se encontrou na gastronomia e juntos abriram o Metzi, restaurante mexicano com ingredientes brasileiros no bairro de Pinheiros, na capital paulista.

Tendo a sustentabilidade porquê um dos pilares principais, o trabalho dos chefs procura colocar os ingredientes brasileiros no núcleo da mesa, sempre de olho no saudação à sazonalidade.

O nome do restaurante é uma homenagem à divindade da lua, segundo a mitologia asteca, e no menu há receitas tradicionais, principalmente as oaxaquenhas, com ingredientes dos dois países. Espere pelo guacamole, o couve-flor com chamoy de tamarindo e manchamanteles, a tostada de polvo e tlayuda oaxaqueña com tasajo de ancho – que já são os favoritos da mansão.

Fora da cozinha que mistura o melhor de ambos os países, o parelha também experimenta outros sabores pela cidade – de bares tradicionais até restaurantes japoneses e outros que o foco é a carnes. A seguir, os restaurantes prediletos de Eduardo e Luana por São Paulo:

Bar do Biu

Em tudo que eles se propõem a fazer, sai perfeitamente muito. No Bar do Biu, come-se a melhor feijoada (entre R$ 78 e R$ 88), o melhor baião de dois (entre R$ 59 e R$ 130), além do melhor PF da cidade.

Os pratos seguem desde preparações mais clássicas até variações vegetarianas e com outros ingredientes deliciosos. Dizemos que é uma comida muito muito feita. Mesmo frequentando o restaurante toda semana, não conseguimos escolher um prato preposto.

Rua Cardeal Arcoverde, 776 – Pinheiros, São Paulo – SP / Tel.: (11) 3081-6739 / Horário de funcionamento: acessível todos os dias das 11h às 18h. Delivery via WhatsApp, iFood e Rappi

By Koji

Detalhes do interno do restaurante nipónico By Koji no Morumbi / Rafael Renzo/Divulgação

O frescor dos peixes do By Koji são de outro mundo. Nunca provamos um carapau tão fresco quanto o servido pelo chef Koji Yokomizo – o sashimi com cinco fatias sai por R$ 30.

De sashimis, sushis, moriawase até aperitivos e pratos feitos na placa, a comida é fresca e saborosa. Uma curiosidade: às vezes, usamos os peixes de lá até para abastecer o Metzi.

Terreiro Roberto Gomes Pedrosa, 1 Portão 4, Estádio do Morumbi / Tel.: (11) 3624-7710 / Horário de funcionamento: terça a domingo das 12h às 15h (almoço) e das 19h às 22h (jantar) / Reservas via site / Delivery via iFood

Tonkotsu Barikote Ramen Maru

Ramen é um matéria sério para nós. Tínhamos o prática de manducar toda semana quando estávamos em Novidade York. Mas São Paulo também tem seu lugar: é numa pequena portinha na rua José Maria Lisboa que fica um dos melhores que já provamos.

Entre os destaques está o tonkotsu original (R$ 43), caldo feito à base de porco, temperado com shoyu, macarrão fino, ovo marinado, cebolinha, cogumelo marítimo, gengibre e panceta. O karaage (R$ 30) e os domburis semanais também são boas pedidas.

Assim, tivemos a certeza de que São Paulo tinha um ramen muito muito feito, com um caldo potente, quando encontramos o Tonkatsu pela recomendação do nosso companheiro Gerard Barberan.

Rua José Maria Lisboa, 118 – Jardim Paulista, São Paulo – SP / Tel.: (11) 98721-0498/ Horário de funcionamento: terça-feira a domingo, das 12h às 15h e das 18h às 22h / Delivery via site

Frangó

Eu, Luana, cresci na zona setentrião de São Paulo, a poucas ruas da Terreiro da Matriz. Meu pai sempre foi aquela pessoa que manda muito na cozinha e sabe porquê mimar as filhas. E às vezes nos surpreendia com um presente: a coxinha de frango com catupiry do Frangó (R$ 7,90 a unidade; R$ 49 por 10 unidades {aperitivo}).

Porquê uma boa brasileira, senhor uma coxinha, e a do bar faz um baita sucesso. A mansão também serve uma variedade de cervejas que fazem a alegria dos amantes da bebida. Digo que Frangó é porquê um paixão de puerícia que passei para o Eduardo.

Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 168 – Freguesia do Ó, São Paulo – SP / Tel.: (11) 3932-4818 ou 98441-0215 / Horário de funcionamento: segunda-feira, das 11h às 21h; terça a sábado até 24h; domingo até 19h / Delivery via iFood

Cór

Cortes de wagyu do Cór Gastronomia / Divulgação

O Eduardo é o mais carnívoro de nós dois: quando entra no Cór é porquê uma moço feliz. Já eu, Luana, não sou tão chegada em carnes, mas se for para manducar uma tem que ser no Cór. A mansão no Cumeeira de Pinheiros com supervisão de Renzo Garibaldi é especializada em maturação a sequioso, que valoriza o resultado porquê deve ser.

A maturação e o ponto da músculos são realmente muito bons. Da cozinha saem ancho (R$ 114), wagyu (R$ 180), chorizo (R$ 99) e cortes dry-aged, porquê prime-rib e T-Bone. Gostamos tanto do restaurante que comemoramos nossos aniversários no lugar.

Terreiro São Marcos, 825, Cumeeira de Pinheiros – São Paulo-SP / Tel.: (11) 3726-2908 / Horário de funcionamento: segundas-feiras, das 12h às 15h; terça a quinta-feira, das 12h às 23h; sexta-feira e sábado, das 12h às 24h; e domingos das 12h às 18h. Reservas via site. Delivery via iFood




Brasil61

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também