OMS relata 200 ataques a estruturas de saúde na Ucrânia desde início da guerra

Por redação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já relatou 200 ataques a instalações de saúde na Ucrânia desde o início da guerra, disse o diretor-geral Tedros Adhanom Ghebreyesus nesta terça-feira (10), pedindo à Rússia “que pare com essa guerra”.

Falando de Kiev depois de passar dois dias na Ucrânia, Tedros disse que ficou “profundamente comovido” com o que viu e ouviu.

Tedros disse que os ataques a instalações de saúde “devem parar”, acrescentando: “Há um remédio que a OMS não pode fornecer e que a Ucrânia precisa mais do que qualquer outro, e esse remédio é a silêncio”.

“Por isso, continuamos a pedir à Federação Russa que pare esta guerra”, disse ele.

Tedros disse que discutiu a situação da saúde no país com autoridades ucranianas e disse que a OMS continuará apoiando o sistema de saúde da Ucrânia.

“Minha mensagem para todo o povo da Ucrânia é que a OMS está com você”, disse ele.

O director da OMS disse que, apesar da devastação, ele também viu “resiliência extraordinária” na Ucrânia, enquanto as pessoas tentam retomar suas vidas.

“Meu tempo cá me afetou muito pessoalmente”, disse ele.

“Uma vez que alguém que cresceu em uma zona de guerra, entendo muito muito porquê o povo da Ucrânia se sente”, disse.

“Conheço o impacto, conheço a devastação da guerra em primeira mão e me senti muito, muito triste quando a Rússia invadiu a Ucrânia”, concluiu.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também