Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

“Não vão nos embatucar”, diz Francischini depois decisão da Segunda Turma do STF

Por redação

O deputado estadual do Paraná Fernando Francischini (União Brasil) comentou a decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federalista (STF) desta terça-feira (7) que derrubou a decisão monocrática do ministro Kássio Nunes Marques, que devolveu o procuração do parlamentar.

Em vídeo publicado em suas redes sociais, Francischini afirmou que a guerra pelos seus direitos políticos “não acabou”. “Nosso recurso inacreditável ainda não foi julgado pelo STF. Nossa guerra pelo procuração de 427 milénio paranaenses não acabou, tornou-se uma razão muito maior: a luta pela liberdade de sentença de todo cidadão nas redes sociais”, disse o deputado, que acrescentou: “Não vão nos embatucar”.

Entenda o caso

Fernando Francischini (União Brasil) teve seu procuração cassado pelo TSE em outubro do ano pretérito.

O parlamentar bolsonarista foi investigado por propalar notícias falsas, em rede social, no primeiro vez das eleições de 2018. Em uma transmissão ao vivo, no dia da eleição, Francischini afirmou que as urnas teriam sido fraudadas ou adulteradas para impedir a eleição de Jair Bolsonaro (PL).

No último dia 2, o ministro Kassio Nunes Marques, do STF, derrubou a decisão do TSE – que, além de cassar o procuração de Francischini, também determinava sua inelegibilidade por oito anos contados a partir de 2018.

A ministra Cármen Lúcia convocou, logo, o plenário virtual da Suprema Incisão para um julgamento que deveria suceder em 24 horas, a partir de 00h desta terça-feira (7).

No plenário virtual, os 11 ministros deveriam se manifestar. Porquê relatora, Cármen Lúcia votou para volver a decisão de Nunes Marques.

Os ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes acompanharam a relatora, até que André Mendonça pediu vista – o que suspendeu o julgamento virtual.



CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também