Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

Não tem essa termo no meu léxico, diz Ciro à CNN sobre verosímil desistência

Por redação

O pré-candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) declarou, nesta quinta-feira (26), em entrevista à CNN, que a termo desistência não existe em seu léxico, se referindo uma verosímil saída da corrida ao Palácio do Planalto para beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a lucrar no primeiro vez.

“Eu iria preceder a graduação de zero a dez perguntando se você tem um léxico para entender essa termo que você acabou de falar. Eu não sei que termo é essa, não está no meu léxico”, afirmou Ciro sobre desistir.

Na pesquisa Datafolha divulgada hoje, Lula aparece com 48% das intenções de votos, contra 27% do atual presidente Jair Bolsonaro (PL). A seguir, Ciro surge com 7%.

“Eu não candidato porque é fácil, porque sou predilecto, porque tenho estrada folgada para ser o grande ungido das massas brasileiras. Não, eu tenho naturalidade, piso no solo com muita paciência, parcimônia e humildade. Eu sei muito muito que a estrada que está pela frente é muito dura, muito difícil.”

Mas eu sou candidato porque é necessário.

Ciro Gomes

De concórdia com o ex-governador do Ceará, a solução do pleito no primeiro vez em uma disputa de narrativas contra Comunismo e Fascismo, leva a uma discussão dos anos 1930.

Enunciação sobre eleitores de Bolsonaro serem nazistas

Na manhã desta quarta-feira, Ciro Gomes alegou durante fala à rádio CBN de Campinas que o eleitorado brasílico é constituído por até 15% de “nazistas” e “fascistas”. O pedetista respondia a uma pergunta sobre o espeque de parcela significativa da população a Bolsonaro.

Esclarecendo a informação à CNN nesta noite, Ciro disse que foi mal interpretado pelo jornalista que o entrevistava, mas voltou a refirmar que “portanto, tem no Brasil, infelizmente, 10%, 12%, até 15% que se identificam com Bolsonaro porque são homofóbicos, porque são meio nazistas mesmo.”

“O Brasil tem hoje, porquê no mundo, 10%, 12%, 15%, de eleitores que se identificam com Bolsonaro. E falei por quais ângulos: o caráter anticientífico, tem 13% do eleitorado brasílico que perguntado especificamente é terraplanista. Porquê tem grupos neonazistas, milicianos do Rio de Janeiro. Com quem eles estão? Estão com Bolsonaro. Sabe o que quero para essa gente? Meter eles na ergástulo. Não quero o voto dessa gente”, disse.

“Eu não quero conciliar com todo mundo, eu quero mudar o Brasil. Eu não chamei os eleitores de Bolsonaro senão de meus irmãos queridos e respeitados brasileiros que foram enganados por ele. Mas eu admito e reconheço, porque essa é uma certeza que eu não vou fugir dela, eu não sou candidato a demagogo, demagogo da estação é o Lula.”

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Veja os possíveis candidatos à Presidência da República em 2022

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também