MP do Voo Simples estimula ingressão de estrangeiras e competitividade, diz Anac

Por Brunialti Welinton

O diretor-geral da Dependência Vernáculo de Aviação Social (Anac), Juliano Noman, afirmou nesta quinta-feira (30) que a Medida Provisória do Voo Simples, já convertida em lei, facilita a ingressão de empresas estrangeiras para operar no país e dá mais competitividade ao mercado brasílio.

“A MP ataca os custos, burocracia de todos setores da indústria aérea”, afirmou Noman, durante evento do Ministério da Infraestrutura, em Brasília. “A MP facilita a ingressão de empresas estrangeiras para operar no Brasil. Isso é mais conectividade, competição e viabiliza a geração de novas rotas.”

Ao falar da 7ª rodada de licença de aeroportos, Noman afirmou que, naturalmente, o conjunto do Sudeste, que inclui o aeroporto de Congonhas (SP), atrai atenção de investidores, mas destacou o conjunto na região Setentrião, que inclui empreendimentos em Belém (PA) e Macapá (AP). O leilão será realizado em 18 de agosto.

Além da rodada, o secretário Vernáculo de Aviação Social, Ronei Glanzmann, afirmou que o governo trabalha para viabilizar o processo de relicitação do aeroporto de São Gonçalo do Amarante (AsGA), que atende Natal (RN), ainda neste ano. Os dados do Ministério apontam que a previsão é realizar o torneio em setembro.

Ao falar sobre os investimentos e projetos para o próximo ano, que inclui a licença de aeroportos no Rio de Janeiro, ele afirmou que o setor passa por um momento “emblemático”. “O setor passa por momento muito crucial, de viradela de chave, de retomada depois da pandemia. A pandemia jogou o setor no soalho”, afirmou.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Veja também