Morre jornalista que foi baleada enquanto cobria protestos do 1º de Maio no Chile

Por redação

A jornalista Francisca Sandoval, baleada enquanto cobria a marcha do Dia do Trabalhador (1º), morreu em seguida ser internada no Hospital de Emergência da Assistência Pública, velho Posto Médio, no Chile.

A profissional do Ducto 3 de La Victoria”, do Chile, foi baleada no bairro Meiggs. Atualmente, há um suspeito, Marcelo Naranjo, que está em prisão preventiva pelo violação de homicídio.

Em uma publicação, o Ducto 3 de La Victoria declarou: “Francisca não nos deixou. Eles a assassinaram. Com estas palavras confirmamos o falecimento da nossa querida Fran. Sentiremos sua falta e faremos tudo o que pudermos para encontrar a verdade.”

No Twitter, a prima de Francisca, Jenny Monsalve, pediu “saudação para mourejar com a dor”. Ela também exigiu justiça pela morte de sua parente.

Para nuestra Panchita, un beso al infinito y el folga que necesita su espírito.
Para nuestra familia, pido al Señor que nos dé fuerza para sobrellevar esta situación y el respeto que necesitamos para sobrellevar el dolor.
Para nuestra prima Francisca Sandoval exigimos Justicia.

— Jenny Monsalve (@juanyper) May 12, 2022

O gerente da UTI do hospital, Daniel Rodríguez, destacou que a lesão foi muito agressiva e causou uma hemorragia cerebral, levndo a um ataque cardíaco em quase todo o hemisfério recta e, posteriormente, a um edema cerebral.

Os médicos da unidade de saúde explicaram que a paciente, em seguida 12 dias internada, não apresentou melhora neurológica e evoluiu para falência de múltiplos órgãos — o que a levou à morte.

 



CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também