Moraes autoriza compartilhamento de dados do questionário que apura ataques do PCO à Galanteio

Por Brunialti Welinton

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federalista (STF), autorizou o compartilhamento com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de dados da investigação contra Partido da Culpa Operária (PCO) oportunidade por ordem do próprio Moraes em razão de ataques ao Supremo e a ministros da Galanteio. Essa investigação tramita no chamado questionário das fake news.

“Não há incerteza de que o compartilhamento de elementos informativos colhidos pode e deve ocorrer na presente hipótese, eis que largamente demonstrada a relação entre os fatos investigados, a revelar a adequação da medida. Diante do exposto, determino o compartilhamento e envio de imitação destes autos ao Tribunal Superior Eleitoral para fins de instrução do questionário administrativo”, disse Moraes.

Moraes acatou pedido feito na última sexta-feira (1º) pelo ministro Mauro Campbell, do TSE, que informou ao Supremo que determinou a exórdio de questionário administrativo para apurar supostos ataques do partido ao sistema eleitoral.

Segundo Campbell, o Ministério Público Eleitoral afirmou ter postagens no perfil do partido, na rede social Twitter, que “imputam à Galanteio Eleitoral providências ordenadas a fraudar as próximas eleições”.

Em 2 de junho, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou a inclusão do partido no questionário das fake news. Campbell, logo, pediu que o Supremo compartilhasse dados da investigação.

A movimentação ocorreu depois de o PCO ter feito uma série de ataques ao Supremo por meio de suas redes sociais. Nas publicações, o partido já defendeu, por exemplo, a rescisão do STF e chamou o ministro Alexandre de Moraes, relator do questionário das fake news, de “skinhead de toga” e o acusou de “preparar um golpe” nas eleições.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Veja também