Maioria dos brasileiros tem três ou mais cartões de crédito, diz Serasa

Por redação

Muro de 70% dos brasileiros que fazem uso do cartão de crédito possuem três ou mais cartões, de entendimento com um levantamento feito pelo Serasa em todo o país.

Com a inflação nos dois dígitos há mais de oito meses, muitas famílias têm feito uso desta opção para remunerar contas.

Segundo a pesquisa, 29% das pessoas dizem ter cinco ou mais cartões, 18% afirmam ter quatro cartões, 23% declaram possuir três cartões e 21% responderam ter dois cartões, enquanto exclusivamente 9% dos entrevistados dizem ter somente um cartão.

Um levantamento feito pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) aponta que o uso do cartão de crédito para pagamentos aumentou 42,4% nos primeiros três meses do ano, em conferência com o mesmo período de 2021.

Ao todo, foram R$ 478,5 bilhões gastos nesta modalidade de pagamento.

O uso de cartões de débito e pré-pago também cresceu no período.

Na primeira categoria, foram movimentados R$ 235,4 bilhões, o que representa um prolongamento de 15,2%.

Já os pré-pagos registraram R$ 44,6 bilhões, com progressão de 148,4%.

Em número de transações realizadas, foi a primeira vez que os brasileiros registram uma média de 100 milhões de pagamentos com cartões por dia, um prolongamento de 36% em relação ao primeiro trimestre do ano pretérito.

As operações somam R$ 758,6 bilhões nos três primeiros meses de 2022.

As compras para as quais os consumidores consideram que o uso do cartão de crédito é mais importante são, segundo a pesquisa, supermercado e sustento (17%), farmácia (15%), eletrodomésticos (14%) e roupas (11%). As demais despesas pagas por essa modalidade são móveis (10%) e viagens (10%). Na graduação de valia, o pagamento de boletos representa a menor proporção: exclusivamente 6%.

Ao mesmo tempo que o uso de cartão aumenta, o número de brasileiros endividados e inadimplentes voltou a desancar recorde em abril.

Do totalidade de famílias do país, 77,7% estão com dívidas ou contas em tardada no quarto mês do ano.

De entendimento com o presidente da Confederação Vernáculo do Transacção de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros, o cenário macroeconômico leva ao uso do serviço.

“A inflação subida, persistente e disseminada mantém a premência de crédito para recomposição de renda, fazendo com que as famílias encontrem nos recursos de terceiros uma saída para a manutenção do nível de consumo”, avalia.

O Índice Vernáculo de Preços ao Consumidor Vasto (IPCA), indicador solene da inflação do país, ficou em 1,06% em abril, segundo o Instituto Brasílico de Geografia e Estatística (IBGE).

Foi a maior variação para o quarto mês do ano desde 1996.

No reunido de 2022, o índice está em 4,29%: já supra do núcleo da meta do Juízo Monetário Vernáculo (CNM) para os 12 meses, de 3,5%, e ainda inferior do teto, de 5%.

*Sob supervisão de Stéfano Salles

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também