Maior diamante branco já leiloado voltará a ser vendido nesta semana na Suíça

Por redação

O maior diamante branco já leiloado irá para o martelo em Genebra nesta semana, porquê secção de uma venda da lar de leilões Christie’s que terá duas pedras pesando mais de 200 quilates.

“The Rock”, uma gema em formato de pera de 228,31 quilates, de tamanho semelhante a uma esfera de golfe, pode ser vendida por mais de US$ 30 milhões, de contrato com a leiloeira.

“Geralmente, com essas pedras grandes, a forma é um pouco sacrificada para manter o peso”, disse Max Fawcett, diretor do departamento de joias da Christie’s em Genebra, à Reuters.

“Essa é uma gema em formato de pera perfeitamente simétrica e…uma das mais raras a ir a leilão.”

Os preços de diamantes foram balizados pelas sanções aplicadas à Rússia, um dos principais produtores, assim porquê o retorno de eventos VIP com a subtracção das restrições da pandemia da Covid-19.

Minerado na África do Sul, o “The Rock” foi usado pelo seu velho possessor em um grudar da tradicional joalheria Cartier. O recorde anterior em um leilão de um diamante branco foi estabelecido por uma gema de 163,41 quilates, vendida em 2017.

Diamante de 228,31 quilates pode recepcionar US$ 30 milhões / Denis Balibouse/Reuters

A Christie’s também está vendendo um diamante amarelo, de lapidação cushion e 205,07 quilates, chamado “Diamante da Cruz Vermelha”, pois uma secção não especificada dos lucros do leilão serão destinadas ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha, fundamentado em Genebra.

A joia, que possui uma cruz de mamparra facetada em sua base, foi vendida pela primeira vez pela Christie’s em 1918, em um leilão em Londres, onde residentes vendiam itens pessoais preciosos para ajudar o esforço de guerra. Essa venda gerou 10.000 libras, que ajudaram a Sociedade da Cruz Vermelha Britânica. O preço estimado da vendo está entre 7 e 10 milhões de dólares, disse Fawcett.

Um porta-voz da Cruz Vermelha disse que, desta vez, uma secção dos lucros da venda será destinada para levar chuva limpa para pessoas afetadas por conflitos.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também