Lula critica privatização da Petrobras e troca de ministro de Minas e Pujança

Por redação

O pré-candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a fazer críticas às privatizações de estatais e a atuação do presidente Jair Bolsonaro (PL) em relação à Petrobras. O petista citou a troca de presidentes na estatal pelo governo federalista e a saída do ministro Bento Albuquerque da pasta de Minas e Pujança, anunciada hoje.

Durante um evento com militantes em Juiz de Fora (MG), Lula afirmou que aproveitaria “o humanismo reinante” e o “calor democrático” na sala para criticar as privatizações.

“Quero manifestar ao governo brasílio e aos empresários: pare de tentar privatizar as nossas empresas públicas. Quem se meter a comprar a Petrobras vai ter que conversar conosco depois da eleição”, avisou o petista.

“Pare de tentar privatizar a Eletrobras porque, se não fosse a Eletrobras, não teria o programa Luz para Todos, que custou para o povo brasílio R$ 20 bilhões e só pôde ser feito porque a empresa era pública. Pare de privatizar os Correios. Não tem que privatizar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, o BDNES, o BNB e o Basa. Aprendam a trabalhar, aprendam a investir, aprendam a fazer política econômica ao invés de vender as coisas que já estão prontas”, acrescentou.

Na sequência, ele contestou a teoria de que a venda da Petrobras faça com que os preços da gasolina sejam reduzidos. Nesse momento, ele criticou diretamente o governo federalista.

“Disseram que iriam vender a BR para muitas empresas, teria muita competitividade, muita disputa, e o preço vai encolher. E muito de nós acreditamos. Sabe o que acontece hoje? Tem 392 empresas importando gasolina sem remunerar imposto e nós estamos hoje com a gasolina mais rosto do mundo, o óleo diesel mais custoso do mundo. E o Presidente da República, ao invés de colocar a mão e resolver o problema, ele fica trocando de presidente da Petrobras e de ministro de Minas e Pujança. Ele, na verdade, não sabe o que está fazendo nesse país”, criticou Lula.

Ex-presidente volta a falar em escol “escravista e racista”

No oração, onde abordou o tema da ensino, o petista também retomou as críticas à escol brasileira, falando que o país “nunca levou a sério a ensino para o povo de insignificante”. “Enquanto o Peru, em 1554, já tinha criado sua primeira universidade, o Brasil só vem produzir sua primeira universidade em 1920”, disse Lula.

“E ela foi criada porque o rei da Bélgica vinha para cá e precisava de um título honoris motivo, porque a escol escravista brasileira nunca levou a sério a ensino do povo humilde, a ensino do povo trabalhador. Aliás, ela acha que nem acabou a escravidão ainda porque, se ela achasse que tinha completo, ela não era tão racista, tão preconceituosa, uma vez que ela é”, criticou o petista.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também