Juízo de Moral da Alesp rejeita processo de Isa Penna contra Procurador Olim

Por redação

O Juízo de Moral da Alesp votou pela repudiação do processo da deputada Isa Penna (PSOL) contra o colega Procurador Olim (PP).

Olim afirmou em entrevista no mês de abril que a deputada teria tido “sorte” posteriormente ser vítima de importunação sexual cometida pelo também deputado Fernando Cury (União Brasil) e que seria reeleita graças a isso.

O resultado da votação de hoje foi de 6 votos a 4 pela não admissibilidade. O Juízo de Moral havia asilado a denúncia de Isa Penna no dia 25 de abril.

Além do pedido de isolamento e orifício do processo disciplinar, Penna também pedia que o Juízo “apurasse eventual suspeição ou impedimento do representado, mormente naquele feito que culminou com a absurda penalidade de suspensão de Cury”, citando o isolamento de seis meses a que Cury foi submetido posteriormente o caso de importunação sexual.

Posteriormente, Olim afirmou que “se expressou mal em sua fala e que, conhecendo o deputado, sabia que ele não teve em nenhum momento a intenção de fazer aquilo, mas mereceu ser punido porque mulher precisa de reverência sempre.”

Veja porquê votaram os integrantes do Juízo de Moral pela admissibilidade ou não da ação:

Adalberto de Freitas (PSDB) – NÃO
Enio Tatto (PT) – SIM
Barros Munhoz (PSDB) – NÃO
Wellington Moura (REPUBLICANOS) – NÃO
Professor Kenny (PP) – substituto do Procurador Olim – NÃO
Campos Machado (AVANTE) – NÃO
Marina Helou (REDE) – SIM
Erica Malunguinho (PSOL) – SIM
Alex de Madureira (PL), substituto do corregedor Estevam Galvão (UNIÃO) – NÃO
Maria Lúcia Amary (PSDB) , presidente da Percentagem – SIM

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também