Jovem que faz sátira sobre militantes de esquerda não é filha da deputada Maria do Rosário

Por redação

Falso: Moça que se apresenta porquê Fernanda Minazzi e faz invitação para “maconhaço” é um personagem da humorista Rafaella Gappo, não a filha da deputada Maria do Rosário (PT-RS). Tanto a parlamentar quanto a atriz já desmentiram esse boato.

Teor investigadoVídeo idoso que voltou a circunvalar nas redes sociais mostra uma “convocação” para um protesto denominado “maconhaço” em pedestal ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na publicação, o responsável diz que a mulher é filha da deputada federalista Maria do Rosário (PT-RS).

Onde foi publicado: Facebook

Epílogo do Comprova: É falso um vídeo que circula no Facebook mostrando um quadro de humor porquê sendo declarações da filha da deputada Maria do Rosário. A pessoa no vídeo labareda os seguidores para um “maconhaço” em obséquio do “nosso pai” Lula.

A jovem que protagoniza as imagens, no entanto, não é filha da deputada Maria do Rosário, mas uma personagem conhecida porquê Fernanda Minazzi ou Fê Minazzi, interpretada pela atriz Rafaella Gappo, que satiriza movimentos de esquerda. O parentesco foi rejeitado pela protagonista das gravações e pela parlamentar.

O nome do personagem é uma ironia ao termo ‘feminazi’, usado, de forma pejorativa, para se referir a feministas radicais.

Falso, para o Comprova, é o teor inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma falsidade.

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos de maior alcance nas redes sociais. Até o dia 9 de maio, uma das postagens tinha 448 interações e 273 compartilhamentos. Ao longo da verificação, outro post deixou de estar disponível publicamente ou foi excluído. O próprio Facebook colocou o aviso de informação falsa no vídeo.

O que diz o responsável da publicação: Procurados pelo Comprova, por meio do messenger do Facebook, os dois autores das postagens não responderam aos questionamentos feitos.

Uma vez que verificamos: Por se tratar de um teor idoso e que já viralizou em outras situações, o Comprova iniciou a apuração buscando checagens a saudação desses materiais e que já foram desmentidas por outras agências (LupaAFP Checamos e Aos Fatos).

Também entramos em contato com os dois perfis no Facebook que compartilharam o vídeo, mas nenhum deles respondeu ao Comprova.

Buscamos um posicionamento da deputada federalista Maria do Rosário em suas redes sociais.

“Fe Minazi” satiriza militantes de esquerda e é personagem de atriz brasileira

Batizada porquê Fernanda Minazzi ou simplesmente “Fê Minazzi’ – um trocadilho com o termo “feminazi”, a moça que aparece nos vídeos divulgados nas redes sociais é, na verdade, uma personagem vivida pela atriz Rafaella Gappo. Nas esquetes publicadas no Youtube e Facebook e em que dá vida a “Fê”, a artista satiriza militantes de esquerda.

Ao contrário do que foi publicado nas redes sociais, ‘Fê’ não tem qualquer intensidade de parentesco com a deputada federalista Maria do Rosário. Esta não é a primeira vez que ela é apontada porquê filha da parlamentar. A própria artista já desmentiu essa argumento.

O perfil utilizado por “Fê” no Facebook está sinalizado porquê imaginário, o que demonstra que os conteúdos ali publicados são sátiras ou vídeos de humor. Na descrição, a personagem relata cursar Ciências Sociais na ‘UERJS’ – verosímil referência à Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – e alega ser “uma pessoa homofóbica-fóbica, feminicida-cida e racista-cista”.

A publicação que voltou a viralizar nos últimos dias foi publicada originalmente em novembro de 2016. No teor de humor, a personagem faz um invitação a um “maconhaço”, que seria realizado “em obséquio do pai Lula e em obséquio da democracia”.

Em um segundo momento do teor, a personagem ainda diz concordar a jornalista Fátima Bernardes que, à quadra, era hostilizada nas redes sociais por culpa de um debate promovido em seu programa. A polêmica serviu porquê tecido de fundo para os conteúdos de “Fê Minazzi”.

Deputada volta a se manifestar e aponta “gabinete do ódio”

Tão logo os vídeos foram resgatados nas redes sociais, a deputada federalista Maria do Rosário voltou a se manifestar a saudação do tópico e fez uma publicação em seu perfil no Instagram. A parlamentar demonstrou contratempo com o teor que, apesar de humorístico, na visão dela, se apresenta porquê um material “perverso e covarde”.

Em um vídeo de pouco mais de dois minutos, publicado em seu perfil pessoal, a deputada reiterou que a moça que aparece no teor viral não é sua filha. Ainda no material, Maria do Rosário lamentou o vestimenta de as mulheres que estão na política, frequentemente, receberem ataques contra seus familiares, porquê forma de lhes atingir pessoalmente.

“Ao longo de todos esses anos procurei sempre manter a política, a minha representação pública, longe da diferença pessoal. Mas, na verdade, principalmente nós mulheres somos atacadas naquilo que é mais importante para gente: a família, o desvelo, a atenção. Para me atingir, tentam atingir minha filha. Vejam muito, essa é uma fake news. Essa moça não é minha filha. O que ela diz eu não sei, eu nem conheço essa pessoa. É uma pataratice”, declarou a petista.

“Admiro e senhor [minha filha] supra de tudo. Gostaria de ter conseguido protegê-la disso cá [mostrando o vídeo compartilhado nas redes sociais]. Porque toda fake news que atinge o fruto de alguém só porque alguém é da política, ataca profundamente a família. E é engraçado porque essas pessoas se dizem defensoras da família. Nunca ataquei a família de ninguém. Portanto, poupem o Brasil desses ataques sórdidos. Vamos fazer política em cumeeira nível. Os comitês e gabinetes do ódio não podem vencer”, concluiu a deputada.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos que viralizaram nas redes sociais sobre a pandemia de covid-19, políticas públicas do governo federalista e eleições presidenciais. O vídeo branco desta verificação usa um teor humorístico, que satiriza militantes de esquerda, para alegar que a personagem é filha da deputada federalista Maria do Rosário. Publicações enganosas que mencionam políticos e presidenciáveis – porquê é o caso do ex-presidente Lula, citado no teor analisado – podem induzir interpretações equivocadas da veras e influenciar eleitores no momento da votação, o que é prejudicial ao processo democrático.

Outras checagens sobre o tema: O mesmo vídeo foi verificado por outras agências de checagem porquê a Aos FatosLupaO Estado de Minas e Estadão. Todos chegaram à desenlace de que os vídeos com conteúdos humorísticos foram retirados de contexto e usados para hostilizar a deputada Maria do Rosário e, indiretamente, o ex-presidente e pré-candidato à eleição Luiz Inácio Lula da Silva.

Investigado por imirante.com, CBN Cuiabá. Verificado por Correio Braziliense, Estadão, Metrópoles, Plural Curitiba, A Publicação, SBT e SBT News



CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também