IBGE amplia projeção de safra agrícola recorde para 2022

Por redação

O Brasil terá safra recorde de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2022: serão 261,5 milhões de toneladas, segundo projeção do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgada nesta quinta-feira (12) pelo Instituto Brasiliano de Geografia e Estatística (IBGE).

O volume é 2,2% superior ao conseguido no ano pretérito.

O novo patamar esperado representa subida de 1% em relação ao projetado em março deste ano.

Embora os números sejam positivos, pesquisadores destacam que os produtos sofreram com efeitos climáticos adversos que reduziram o potencial de produção. Entre eles, uma estiagem no Núcleo-Sul do país, amenizada em algumas lavouras pelo retorno das chuvas em janeiro.

O fenômeno terá impacto na soja. O IBGE projeta que a principal commodity do país terá uma colheita de 118,5 milhões de toneladas, um volume 12,2% menor que o conseguido em 2021.

No Sul, espaço mais afetada pelos fatores climáticos, a redução do rendimento médio da soja é de 46,2% em relação ao ano pretérito.

Os três principais produtos, arroz, milho e soja, somam 92,2% da estimativa de produção e correspondem a 87,8% da espaço que deve ser colhida.

Os destaques são os aumentos de 8,1% na espaço do milho e 10,4% na do algodão herbáceo, além de 4,2% no da soja. No entanto, o arroz perderá 2% das terras cultivadas, e de 2,9% na do trigo.

Assim, são esperados aumentos de produção de 27,5% para o milho, de 11,6% no algodão herbáceo em caroço e de 1,4% para o trigo, além de queda de 8,5% no arroz em casca.

A estimativa de subida na produção vernáculo ocorre depois de a projeção subir em quatro regiões, em relação a 2021: Núcleo-Oeste (11,7%(, Sudeste (11,4%), Nordeste (9,9%) e Setentrião (5,2%).

Houve queda exclusivamente no Sul: 14,5%. Quando as projeções de abril são comparadas às de março, há subida em rodas as cinco regiões: Sudeste (1,7%), Setentrião (1,5%), Sul (1%) e Núcleo-Oeste e Nordeste (0,8%).

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também