Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

Gustavo Petro e Rodolfo Hernandez vão para o 2º vez de eleições na Colômbia

Por redação

O candidato de esquerda colombiano Gustavo Petro ficou em primeiro lugar durante o primeiro vez da eleição presidencial do país andino neste domingo (29) e enfrentará, no segundo vez em junho, um candidato surpresa: o empresário Rodolfo Hernandez.

Petro, um ex-membro do movimento de guerrilha M-19 que prometeu profundas mudanças econômicas e sociais, obteve 40,4% dos votos, mostraram os registros do cartório vernáculo, enquanto Hernandez, que obteve ganhos tardios contra o candidato do segundo vez Federico Gutierrez, ganhou 27,9%.

O segundo vez acontecerá no dia 19 de junho.

Quem são os candidatos:

Gustavo Petro

Candidato de esquerda à Presidência da Colômbia Gustavo Petro em Bogotá / 26/05/2022 REUTERS/Luisa Gonzalez

Líder da esquerda, Petro é reconhecido porquê ex-membro do grupo de guerrilha M-19 (Movimento 19 de Abril), desmobilizado nos anos 1990. O pretérito porquê militante tornou a vida pública do primeiro posto polêmica.

Nascido no município de Ciénaga de Oro, no departamento de Córdoba, na costa caribenha, em 1960, entrou para a vida pública ainda jovem, aos 21 anos, porquê mentor municipal, uma espécie de vereador. Foi nessa era também que se aproximou do M-19.

A eleição deste ano é a terceira tentativa de Petro de ocupar a cadeira presidencial. Antes, o candidato foi senador e prefeito da capital colombiana, Bogotá.

Rodolfo Hernández

O candidato do partido político Liga de Gobernantes Anticorrupcion, Rodolfo Hernandez, no debate entre candidatos presidenciais no Club El Nogal, em Bogotá, Colômbia, em 25 de janeiro de 2021 / Getty Images

Com um princípio de vida política repleto de polêmicas, o terceiro posto nas eleições presidenciais da Colômbia se autodenomina “Engenheiro Rodolfo Hernández”.

Nasceu em Piedecuesta, no departamento de Santander, em 1945, é um empresário na mesma região, localizada no nordeste da Colômbia.

Em 1992 foi eleito vereador, mas nunca assumiu o incumbência. Anos depois, em 2016, foi eleito prefeito, embora não tenha completado o procuração por uma série de sanções disciplinares impostas pela Procuradoria-Universal da Colômbia devido a escândalos. A CNN entrou em contato com os representantes de Hernández sobre os acontecimentos, mas não obteve retorno.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também