“Entre Bolsonaro e Lula, prefiro Bolsonaro”, diz repórter peruviano Vargas Llosa

Por redação

O repórter peruviano Mario Vargas Llosa disse, nesta quarta-feira (11), que entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Lula (PT), ele “prefere Bolsonaro”.

A enunciação foi dada pelo Nobel de Literatura de 2010 ao participar de um evento da instituição Núcleo de Estudos para o Desenvolvimento (CED).

“O caso de Bolsonaro é um caso muito difícil. As palhaçadas de Bolsonaro são muito difíceis de comportar, para um liberal”, disse Vargas Llosa.

“Agora, entre Bolsonaro e Lula, eu prefiro Bolsonaro, desde já. [Mesmo] com as palhaçadas de Bolsonaro, Lula, não”, acrescentou.

O repórter ainda falou que “Bolsonaro não é um candidato que desperte nosso exalo, e cometeu muitos erros graves no governo”.

Porém, ele ressalta que sua sensação é de que “o Brasil, nesse último governo, se livrou do fenômeno que abraça o nosso continente que é o da devassidão”.

“O Brasil é um caso extremamente difícil de explicar. Lula esteve recluso e não fomos nós que o condenamos, foram os juízes brasileiros que o condenaram com razão”, afirmou o peruviano.

Eu conheci o juiz [Sergio Moro] que o mandou para o cárcere. E ele é um varão que me parece de uma integridade absoluta. Um varão absolutamente guiado por princípios de moralidade, dignidade e de saudação às leis”, concluiu.

Embora tenha se demonstrado desempenado às ideias de esquerda durante a juventude, inclusive apoiando a revolução cubana de Fidel Castro, Vargas Llosa progressivamente se inclinou à direita entre os anos 1970 e 1980. Em 1990, ele concorreu à presidência do Peru pela coalizão de centro-direita Fredemo, mas perdeu para Alberto Fujimori.

Nas últimas eleições peruanas, Vargas Llosa apoiou a candidatura da filha do ex-ditador, Keiko Fujimori, que foi derrotada por margem estreita pelo esquerdista Pedro Castillo.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também