Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

Em seguida registro em SP, Saúde investiga 7 casos suspeitos de varíola dos macacos no Brasil

Por redação

Subiu para sete o número de casos suspeitos de varíola dos macacos investigados pelo Ministério da Saúde. Os casos monitorados estão nos Estados do Ceará, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, dois pacientes em Rondônia e agora um paciente em São Paulo. Durante o termo de semana dois casos suspeitos já passaram a ser investigados em Rondônia e foram confirmados pelo Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em sua conta no Twitter.

“Ainda não há casos confirmados da doença no Brasil. O Ministério da Saúde segue vigilante atuando diuturnamente nesta frente. Além dos 4 casos que estavam em investigação, outros 2 casos suspeitos foram notificados em Rondônia. Todos seguem isolados e em monitoramento”, disse o ministro na rede social.

Queiroga afirmou ainda que não há casos confirmados no Brasil. O Ministério da Saúde, acompanhada esses casos por meio da Sala de Situação Pátrio de Monkeypox, que fez um formulário de notificação/investigação para todo o território vernáculo, estabelecendo obrigatoriedade de notificação imediata, em até 24 horas, pelos profissionais de saúde de serviços públicos ou privados.

São considerados casos suspeitos aquelas pessoas que a partir de 15 de março de 2022, apresente início de febre, erupção cutânea com bolhas no rosto, mãos, pés, olhos, boca ou genitais, febre, linfonodos inchados, dores de cabeça e musculares e falta de pujança.

As medidas de prevenção incluem a procura por atendimento médico diante dos sintomas, seguido de isolamento em lar. Deve-se evitar o contato com a pele, rosto e contato sexual com qualquer pessoa que tenha sintomas. As mãos, objetos e superfícies que são tocados regularmente devem ser higienizados.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda, ainda, o uso de máscaras se estiver em contato próximo com alguém com sintomas.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também