Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

Em seguida pedido de Carmen Lúcia, Fux marca para dia 7 plenário virtual para examinar caso Francischini

Por redação

O presidente do Supremo Tribunal Federalista (STF), ministro Luiz Fux, decidiu marcar para terça-feira (7) uma sessão extraordinária do plenário virtual para examinar uma ação que questiona a suspensão da cassação do deputado estadual do Paraná, Fernando Francischini (União Brasil).

A decisão de Fux será oficializada ainda neste sábado (4) e acontece depois de um pedido da ministra Cármen Lúcia, relatora de um pedido feito pela resguardo de um dos suplentes de Francischini.

“Considerando a fundamentada excepcionalidade do caso e a expressa previsão do art. 21-B, § 4º, do RISTF e do art. 5º-B da Solução nº 642/2019, acolho a solicitação apresentada pela eminente Ministra Relatora, para inclusão do feito em sessão virtual extraordinária do Plenário desta Incisão, com início em 07.06.2022, à 00h00min, e término em 07.06.2022, às 23h59min”, escreveu Fux.

A ministra solicitou a sessão extraordinária do plenário virtual (entre 0h e 23h59 de terça-feira) por entender que o caso exige urgência. No plenário virtual, os ministros depositam os votos no sistema eletrônico do STF no período estabelecido, sem debate no plenário físico.

“Considerando a urgência urgente de estudo e decisão do Plenário deste Supremo Tribunal Federalista sobre a material questionada na presente ação, pelo menos em sede liminar, para se sentenciar sobre o cabimento e o pleito de medida de suspensão de efeitos de ato judicial de integrante desta Mansão, solicito ao Ministro Luiz Fux, Presidente, seja convocada sessão extraordinária do Plenário Virtual para o dia 7 de junho de 2022, de 0:00 às 23:59 para deliberação”, escreveu Cármen Lúcia no pedido.

Na última quinta (2), Nunes Marques derrubou decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que havia cassado o procuração ao deputado estadual bolsonarista Fernando Francischini (União Brasil-PR) por propagação de informações falsas contra o sistema eleitoral.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também