Desabastecimento pode ocorrer se não houver aumento do frete, diz presidente da CNT

Por redação

Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (11), o presidente da Confederação Pátrio do Transporte (CNT), Vander Costa, afirmou que não há clima para paralisação de transportadores, mas que pode possuir desabastecimento dos caminhões caso as transportadoras decidam não aumentar o frete depois o aumento do preço do diesel anunciado pelo Petrobras.

“Não vemos nenhum clima de paralisação, mas o risco de desabastecimento pode ocorrer para aquele setor que não tiver sensibilidade de aumentar o frete. Os transportadores estão conscientes que uma greve não vai contribuir para o desenvolvimento social do Brasil, mas tem que possuir estabilidade de preço para prometer o provisão”, disse.

Costa ressaltou que o impacto repentino do reajuste do preço do óleo diesel será o aumento das tarifas do transporte rodoviário de cargas e do transporte de passageiros.

“A dificuldade maior é no transporte urbano de passageiros, pois os preços são autorizados pelas prefeituras e a falta desse repasse ou qualquer subvenção está fazendo com que falte transporte em diversas cidades no Brasil”, declarou.

“Os prefeitos têm duas opções: aumentar o preço da passagem e transferir isso para a população ou usar recursos públicos que podem arcar e subsidiar parcialmente o transporte urbano de passageiros”, acrescentou.

O presidente da CNT também disse que existe uma opção na qual o governo federalista seria o responsável por arcar com o aumento, se furar mão do lucro de dividendos da Petrobras por ser o maior acionista da empresa.

“O governo está declarando que o lucro da Petrobras está eminente, mas ele participa desse lucro de duas formas, na tributação e nos dividendos. Logo, uma opção é furar mão dos dividendos e subsidiar o eminente dispêndio na origem para fazer com que a população sofra menos”, pontuou Vander Costa.

Texto publicado por Fabricio Julião Rebento

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também