Depois dois anos de pandemia, destination wedding está em subida entre os noivos

Por redação

Guto e Virgínia se conheceram na Barra do Una, no litoral de São Paulo, em novembro de 2018.

Apaixonaram-se e já começaram a namorar. Mas logo veio um porém: o fado de Réveillon, que não batia. Ambos, loucos por viagens, já haviam programado as viradas de ano com os amigos, com muitas festas e comemorações. Ele escolheu Caraíva, na Bahia. E ela se juntou às amigas na Praia de Carneiros, Pernambuco.

Virgínia, apesar de estar no paraíso que é a Praia de Carneiros, sentiu um pouco dissemelhante naquele ano: tinha certeza de que havia publicado o paixão da sua vida. Curtiu a viagem, mas sempre pensando e trocando mensagens com Guto.

Na famosa igrejinha do sítio, fez a promessa de viradela do ano: “Se eu matrimoniar com esse varão, vai ter de ser cá, nesta cidade.”

Dito e feito. Depois um ano, foi pedida em conúbio em Paris, na França, e já na viagem, os preparativos começaram a ser discutidos, com somente uma certeza em mente: a celebração tinha de ser no estilo “Destination Wedding”.

Essa frase é usada para aqueles casamentos comemorados em destinos fora da cidade de onde os noivos residem, normalmente com mais de um dia de sarau, para que família e amigos aproveitem ao supremo esse momento privativo do par.

Convidados na recepção de Virgínia e Guto, em Pernambuco, em dezembro de 2021 / Euka Weddings

Porquê o espírito festeiro e viajante sempre esteve no DNA da relação de Guto e Virgínia, agora só faltava escolher o fado.

E o escolhido foi Carneiros, evidente.

A pandemia atrapalhou um pouco os planos do par, que precisou prorrogar a data e, quase um ano depois, no termo de semana do dia 4 de dezembro de 2021, eles se casaram, com recta a sarau no paquete de “pré-casamento” e uma “sarau solene”, daquelas pra ninguém colocar defeito.

Virgínia e Guto se casaram na Praia dos Carneiros / Euka Weddings

Uma pesquisa da plataforma Booking.com, divulgada no início de maio e realizada com viajantes de diversos países, apontou os destinos mais recomendados do mundo para “destination weddings”, em 2022.

Gramado, no Rio Grande do Sul, aparece na sétima posição e é a única cidade brasileira da lista. No topo do ranking está Paris, seguida de Las Vegas, Gretna, Veneza, Roma, Londres, Sidney, Cartagena e Edimburgo.

Virgínia e Guto fizeram uma sarau de boas vindas aos seus convidados em uma ilhota deserta, em Pernambuco / Euka Weddings

Tendência que veio para permanecer

Quem nunca teve aquela sensação de vazio em seguida alguma data privativo passar tão rápido depois de tanto planejamento e sonhos? É principalmente por esse motivo, de não querer que um pouco privativo dure somente algumas horas, que os noivos decidem fazer a comemoração no formato de “destination wedding”.

“Não tinha a menor possibilidade de eu fazer uma sarau que durasse somente oito horas. São tantos planos, tantas preocupações. Queria que durasse o supremo provável para curtir com as pessoas que senhor”, conta a publicitária Vivian, que casou com Bruno em abril deste ano em São Miguel dos Milagres, em Alagoas.

Os noivos receberam seus 180 convidados e começaram as comemorações em uma quinta-feira, com o “JangaDay”, passeio publicado na região.

Foram tapume de 30 jangadas a caminho das piscinas naturais e, uma vez lá, todos aproveitaram a sarau de boas-vindas, com DJ, drinques, comidinhas e tudo o que o cenário paradisíaco, no meio do mar, tinha a oferecer.

Na sexta-feira, um dia livre para os convidados aproveitarem a região. E no sábado, o grande dia – que foi comemorado dentro de uma pousada boutique da cidade.

Sarau de boas vindas de Vivian e Bruno foi feita em um “Jangaday”, em São Miguel dos Milagres / Ale Bigliazzi

São Miguel dos Milagres, um dos destinos mais desejados no Brasil

Milagres, assim uma vez que Trancoso, na Bahia, aparece uma vez que um dos destinos mais procurados nas assessorias de conúbio para os “destination weddings”. Jamila Santana, sócia da Jah Eventos, foi a responsável pela realização do conúbio de Vivian e Bruno em Milagres, e também de Virgínia e Guto, em Carneiros.

A empresa, que ela comanda junto com sua mana, Carla Feth, está no mercado de eventos há 18 anos e acompanhou de perto o promanação desse formato de conúbio. Hoje, 70% da agenda da assessoria são para “destination weddings”.

Jamila, da Jah Eventos, com os noivos, na sarau de recepção, em Milagres/ Reprodução/Instagram

“O primeiro conúbio que organizamos foi em 2014, e desde aquele ano já sabíamos que era um pouco que uma hora iria bombar, justamente pelas pessoas quererem não só um momento, mas uma experiência completa. A demanda foi migrando e hoje, em São Paulo, o número de espaço para eventos foi muito reduzido. Já as fazendas em torno da cidade preparadas para receber casamentos aumentaram”, ressalta.

Jamila conta que faz mais de 50 casamentos por ano e entende que o pontapé inicial para a organização de um “destination” é entender os objetivos dos noivos – o quanto querem gastar, quantas pessoas vão invitar, e o que colocam uma vez que prioridade ou não. Ela ressalta ainda que cada par tem um perfil e que cada evento é dissemelhante, mesmo que seja no mesmo fado.

Vivian e Bruno, por exemplo, casaram em Milagres, mas o grande dia não foi comemorado na emblemática capela, que é um dos grandes motivos para casais escolherem o fado.

“Eles estavam muito felizes e confiantes de suas escolhas. Investiram naquilo que realmente fazia sentido, queriam fugir de clichês”, diz Jamila.

Boda de Vivian e Bruno, em Alagoas, fugiu de clichês e reuniu 180 convidados/ Ale Bigliazi

Construída em 2016 pela Escritório “Tamo Junto”, a Capela de Milagres recebe uma média de 50 casamentos por ano.

Disputada por noivos de todo o Brasil, ela precisa ser reservada com antecedência de pelo menos 18 meses. A estrutura conta com um coqueiral para receber a sarau em seguida a cerimônia. O valor para locação do espaço gira em torno de R$ 45 milénio.

Capela dos Milagres é uma construção recente, porém emblemática. Cenário de casamentos e também ponto de turismo da cidade/ Reprodução/Instagram

Em novembro, a influenciadora Marcella Tranchesi com Rodrigo Klamt Mota também se morada no sítio. Os noivos optaram pelo “destination wedding” e receberão os convidados no feriado prolongado da Proclamação da República – as comemorações se iniciarão no sábado (13) e o conúbio será na segunda-feira (14).

“Sempre soubemos que queríamos uma sarau em que pudéssemos curtir nossos amigos, com calma, com tempo, vivendo esse momento. Não queríamos ter a sensação de piscar e tudo já ter terminado, ressalta Tranchesi.

“Somos muito casamenteiros. Hoje, a maioria dos casamentos a que somos convidados é nesse formato, seja para dentro ou fora do Brasil. É uma tendência que veio para permanecer”, conta a influenciadora.

Os destinos internacionais

Desde 2008 no mercado de eventos, a consultoria especializada em casamentos Boutique de 3 é referência no tópico. Responsáveis por casamentos luxuosos, considerados “dos sonhos”, as sócias Edda Igolini Bauder, Gizella Luglio e Elisa Tavares auxiliam em tudo: desde a escolha do sítio até a forminha do gulodice da sarau.

Experiente no mercado, Boutique de 3 é responsável por organizar diversos casamentos de celebridades. O de Preta Gil com Rodrigo Godoy aconteceu em 2015, no Rio de Janeiro / Divulgação

Desde que os “destination weddings começaram a brotar, a empresa precisou se ajustar e hoje essa modalidade representa hoje 70% da demanda.

Os casamentos fora do país também estão entre os mais desejados, uma vez que conta Elisa Tavares, sócia da Boutique de 3. “Antes era muito generalidade os casamentos enormes, com mais de 800 convidados, em que os pais dos noivos ofereciam a recepção. E uma vez que uma vaga casamentos fora do país, com a vontade das pessoas de invocar quem realmente faz sentido. Os preços cá no Brasil começaram a permanecer muito altos para somente um dia de sarau. Naturalmente, a demanda começou a mudar”, conta.

Segundo Elisa, alguns cuidados merecem atenção na hora de escolher destinos internacionais para a comemoração. Facilidade de entrada, dias disponíveis (uma vez que a intervalo pode ser grande), e visto e passaporte atualizados são só alguns dos principais pontos de estudo.

“O que sempre falo para os noivos é que não adianta querer levar tudo do Brasil para uma cultura totalmente dissemelhante da nossa. Ao optar por um fado, é preciso se adequar a alguns costumes locais, uma vez que horários (uma pista de 12 horas em alguns países é impensável), gastronomia e principalmente estilos de sarau. Outra dica que dou, principalmente agora com esse boom de casamentos, é pensar muito nos convidados. Optar por um lugar de fácil entrada, em que as pessoas importantes para os noivos consigam estar presentes”, completa Elisa.

Itália, Portugal e França são alguns dos destinos mais procurados na Europa. Com a pandemia, evidente, a demanda diminuiu. México, Uruguai e Argentina também constam no topo da lista de desejos e, no atual momento, tornaram-se mais viáveis.

Tálamo “Open vinho”

Larissa Siqueira e Bruno Maglione já tinham o conúbio dos sonhos na cabeça antes da pandemia debutar. Apaixonados por viagem, sempre desejaram um conúbio com vários dias de sarau, encurralado de amigos e família.

Itália era o fado inicial, mas o cima preço do euro e também a intervalo, a opção foi descartada. Ainda namorados, viajaram para Mendoza, na Argentina, e cravaram, sem dúvidas, que quando casassem seria lá.

Tálamo de Larissa e Bruno aconteceu na Bodega Belasco, uma vinícola em Mendoza / Ricardo Hara

“Além do dispêndio, que ficaria muito menor pela desvalorização do peso prateado, as paisagens eram de tirar o fôlego. Mal fui pedida em conúbio, busquei algumas assessorias, e a Jah Eventos me apoiou do início ao termo com todos os detalhes, ajudou meu sonho a se tornar veras dentro do budget que eu tinha. Por isso, uma das dicas que dou é: se vai fazer um “destination”, busque uma assessoria para te estribar”, ressalta Larissa.

A ocasião teve de ser remarcada três vezes, sendo a primeira delas a somente 20 dias do conúbio. Depois a primeira remarcação, a vinícola em que a sarau aconteceria mandou um e-mail avisando aos noivos que não receberia mais casamentos. Portanto, a procura por um novo lugar teve de debutar – e foi concretizada somente na semana do conúbio.

A negociação foi de forma on-line, e o espaço foi visitado somente 5 dias antes do evento. O conúbio “Open Vinho“, uma vez que foi chamado pelos noivos, demorou, mas aconteceu do jeito que sonhavam: com três dias de sarau, família, amigos presentes e muita emoção.

Tálamo foi desmarcado 3 vezes e sítio foi fechado na semana do evento devido à pandemia / Ricardo Hara

“Eu não faria absolutamente zero dissemelhante. Eu olhava para todos ali e sentia uma emoção indescritível. Foi muito intenso, maravilhoso”, ressalta Larissa.

Mesa de doces na Argentina com delícias típicas de lá: alfajor e cones de gulodice de leite/ Ricardo Hara

A experiência foi tão boa que, no termo deste ano, Lais, mana gêmea de Larissa, também casará em uma viagem. Ela e seu nubente receberão os tapume de 100 convidados em Santa Cruz Cabrália, na Bahia, outro fado que está em subida.

O casamento-viagem sem convidados

Se por um lado há noivos que sonham em fazer um conúbio em outra cidade para aproveitarem mais dias de sarau, rodeado de famílias e amigos, há também aqueles casais que preferem um pouco mais intimista: só os dois.

Para os casais que também são apaixonados por viagem, mas buscam um pouco mais reservado, os “Elovepement Weddings” – ou “conúbio em fuga” – nunca estiveram tão na tendência.

Os noivos buscam destinos especiais para fazerem a comemoração com tudo a que têm recta: vestido de prometida, terno, maquiagem, cenário paradisíaco, doces, bolo, fotógrafo, cerimônia, mas a grande diferença é: sem convidados.

São só os noivos, o padre (ou rabino de cerimônias/solene de justiça). Esse tipo de conúbio também é organizado por assessorias – muitas delas especializadas só nisso.

Um dos destinos mais procurados para o “conúbio em fuga” é a Grécia.

A brasileira Ana Elisa Teixeira optou por esse tipo de cerimônia em 2017, em Santorini. O par tinha o sonho de passar a lua de mel no país e, pesquisando, descobriu que era provável realizar a cerimônia a dois um preço atingível – gastaram à idade o equivalente a R$ 9.000, além das passagens.

Organizaram tudo em três meses e embarcaram. Aproveitaram a viagem e fizeram a celebração nos últimos dias. O sítio escolhido foi a Saint Antônio Vinícola.

Tálamo de Ana Elisa e Alexandre aconteceu na Grécia, em 2017/ Registo pessoal

“O dia foi muito privativo. A cerimônia foi linda, amamos o celebrante. Foi um momento focado em nós. Fizemos os votos, prestamos atenção em cada vocábulo falada. As músicas que escolhemos deram um toque privativo ao momento. O processo todo durou tapume de duas horas e tivemos tudo o que um conúbio de pompa pode ter”, conta Elisa.

Outro fado que vem sendo muito buscado é Anguilla, uma exótica e romântica ilhota no Caribe.

Em Anguilla, a maioria dos hotéis tem lugares ao ar livre, além de espaços interiores para qualquer sabor ou orçamento. É provável contratar pacotes a partir de US$ 1.300, que podem reunir outras experiências uma vez que massagens relaxantes para o par, cruzeiros privativos ao pôr do sol e jantares especiais na praia, entre outros.

Seja um “destination” ou um “elovepement”, o concepção para esses tipos de comemoração é um só: aproveitar e gozar ao supremo de um dos momentos mais importantes na vida do par.

Dicas gerais para organizar um Destination Wedding

  • Contratar uma consultoria/assessoria especializada em casamentos. Além de ajudar na preparação, no contato com fornecedores e fazer alertas sobre pontos importantes, podem, também, resolver e se antecipar a problemas conhecidos neste tipo de comemoração;
  • Escolher um lugar de fácil entrada aos convidados e atentar-se às exigências da cidade (ou país), uma vez que premência de vacinas, visto e passaporte com data válida;
  • Definir quais são as prioridades da comemoração para não extrapolar o orçamento, caso tenha um limite determinado;
  • Se provável, dar preferência à cultura sítio. Exemplo: vai matrimoniar na Argentina? Em vez de trazer do Brasil os famosos bem-casados, dados no termo da sarau, por que não oferecer alfajores aos convidados?
  • Os fornecedores são de extrema valia. Se os noivos não abrem mão de determinadas produtos que já estão acostumados em suas cidades, vale a pena levar pessoas de crédito ao fado. Muitos noivos costumam levar o DJ e equipe de retrato;
  • Não é necessário viajar muito longe para fazer um destination wedding. Se o orçamento está reduzido, escolha uma praia ou cidade do interno perto de sua morada;
  • Escolha destinos em que os convidados consigam lugares confortáveis para hospedagem e fiquem tranquilos quanto aos custos: é generalidade que eles paguem a passagem e hotel;
  • Aproveitem cada minuto: se escolheu o “destination wedding” uma vez que estilo de comemoração é porque gosta de curtir cada momento da vida. Portanto, resolva o que tiver para resolver antes, confie em sua assessoria e usufruto tudo o que tiver recta desta viagem memorável!

Brasil61

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também