Criptomoedas podem ser usadas uma vez que moeda de câmbio em viagens internacionais

Por redação

Além de ser um mecanismo de investimento, as criptomoedas ganharam uma novidade função: otimizar a viagem internacional de pessoas realizando o processo de câmbio sem um regulador por trás. A empresa responsável é a CoinCloud, que disponibilizou maquinas eletrônicas ATMs, semelhantes aos caixas eletrônicos, para que as pessoas transacionem seus ativos digitais.

A teoria da companhia é ajudar as pessoas a terem numerário para viajar, sem precisar ir em uma mansão de câmbio. Para isso, a companhia disponibilizou caixas eletrônicos onde é verosímil comprar e vender criptomoedas em real e dólar.

Por exemplo, caso um brasiliano tenha interesse em viajar aos Estados Unidos e aproveitar a cotação de uma moeda do dedo, basta comprar os ativos em reais, no Brasil, e sacar em dólar, para usar nos EUA.

Imagine que uma pessoa comprou 3 ethereum a R$ 45 milénio, nesta terça-feira (26), por volta das 12h25. Ao chegar nos EUA, basta ir em um ATM e sacar o valor investido, porém, em dólar.

O montante a ser retirado vai variar de convenção com a cotação da moeda do dedo no momento e o preço entre o real e o dólar.

 

Dessa forma, ao escolher uma criptomoeda para usar uma vez que “câmbio” é necessário ter no radar: a cotação da moeda do dedo e o preço entre as moedas (real x o país que está viajando).

Existem três níveis de clientes: o primeiro, há um limite para se comprar criptomoedas em até R$ 5 milénio; no nível 2, R$ 10 milénio; e no terceiro nível, R$ 15 milénio por dia. Caso o cliente opte por ultrapassar o valor, é necessário entrar em contato com a mesa de transações da companhia para que a operação seja aprovada.

No Brasil, até o momento, são 25 caixas eletrônicos espalhados por shoppings e supermercados. E mais de 5 milénio no mundo.

Em nota, a companhia informou que “o deslocamento ainda é necessário, mas o tempo que se perde em filas e em processos mais burocráticos que as casas de câmbio exigem é reduzido de algumas horas para poucos minutos nos ATMs”.

“Outrossim, evita-se marchar com numerário vivo nos deslocamentos entre países, deixando o valor em segurança no caixa eletrônico e recolhendo só no direcção final”, diz o enviado.

Para usar as ATMs, é necessário fabricar uma carteira do dedo e utilizar uma corretora para armazenar as criptomoedas. Em seguida, o cliente precisa vincular sua carteira ao sistema ATM para fazer o uso dos caixas eletrônicos de criptomoedas.

Vale primar que a taxa para a compra e venda de uma moeda do dedo no sistema da CoinCloud varia de convenção com o lugar da operação, ou seja, o país que a operação será realizada. E as transações podem demorar de 15 a 60 minutos.

Brasil61

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também