Consumo dos brasileiros deve aumentar nos próximos meses, aponta CNC

Por redação

Um estudo elaborado pela Confederação Pátrio do Transacção (CNC), divulgado na última terça-feira (10), mostra que o varejo deve terminar o ano com um volume de vendas maior do que o previsto.

Influenciado pela liberação de programas sociais do governo federalista, a expectativa da CNC é de que o consumo no Brasil cresça no segundo trimestre de 2022, em confrontação aos primeiros meses deste ano.

Para a Confederação, o volume de vendas vai crescer 1,5% em confrontação com os primeiros meses do ano. No levantamento feito pela entidade no mês pretérito, essa expectativa era de 1,1% para o mesmo período.

A expectativa dos economistas que elaboraram o estudo é que o segundo trimestre do ano seja “irrigado pela disponibilização e recursos extraordinários, tais uma vez que a antecipação do 13.º salário a aposentados e pensionistas do INSS; saques do FGTS; e principalmente recursos decorrentes do Auxílio Brasil”, diz um trecho do documento.

A CNC estima que somente o Auxílio Brasil e os saques do FGTS devem injetar no varejo R$ 39 bilhões e que grande segmento pode ser convertida para o consumo dos brasileiros a pequeno prazo.

Entre os setores que mais devem registrar procura nos próximos meses aparecem os de materiais de escritório, informática e notícia (+13,9%) e livrarias e papelarias (+4,7%).

A elevação do volume de vendas apresentada no estudo da CNC também levou em consideração os dados divulgados, também na terça, que reajustou para cima o volume de vendas entre os brasileiros.

De combinação com a pesquisa do Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE), o otimismo do varejo em relação ao aumento do consumo sobe pelo terceiro mês seguido.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também