Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

Com vantagem de Lula, campanha de Bolsonaro se divide sobre estratégia eleitoral

Por redação

Com a vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas pesquisas eleitorais, a campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) tem se dividido sobre a melhor estratégia para tentar se aproximar do índice de intenção de voto do petista.

Segundo relatos feitos à CNN, nas últimas semanas, políticos e publicitários que fazem segmento da equipe de campanha têm estimado a urgência de mudanças na risco de atuação do presidente diante da aproximação do primeiro vez.

Para integrantes do conjunto do Centrão, sobretudo do PP e do PL, o momento seria o de investir na campanha televisiva e radiofônica e de focar no oração econômico, apresentando soluções para o aumento da miséria e da inflação no país.

A avaliação, baseada em pesquisas internas, é de que a população carente, sobretudo no Nordeste, ainda não diferencia o Bolsa Família do Auxílio Brasil e não associa à atual gestão grandes projetos, uma vez que a Transposição do Rio São Francisco ou a Ferrogrão.

O diagnóstico é de que a eleição deste ano ocorre em um cenário dissemelhante ao de 2018, quando a bandeira de combate à devassidão tinha um peso maior sobre o eleitorado. E que o foco deve ser justamente na taxa econômica.

O campo considerado ideológico da campanha eleitoral, do qual fazem segmento os filhos do presidente, tem uma avaliação dissemelhante. Segundo integrantes do comitê de campanha, a resguardo tem sido a de focar a campanha eleitoral novamente nas redes sociais e em temas nos quais leva vantagem sobre os petistas, uma vez que a taxa de costumes e o oração armamentista.

Para o grupo ideológico, focar o oração na questão econômica poderia dar espaço para reverberar as críticas feitas por adversários do presidente e que seria mais favorável concentrar o oração em pautas que tiveram triunfo em 2018, uma vez que o receio do comunismo e as denúncias de devassidão.

A pesquisa Genial/Quaest, divulgada nesta quarta-feira (8), apresentou cenário de eventual vitória do petista em um primeiro vez e uma piora na avaliação da população sobre a atual gestão.

Procurada, a assessoria do PL não se manifestou.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também