Candidatura de Doria é inviável e estou do lado de Lula, diz Aloysio Nunes

Por redação

O ex-senador e ex-ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) afirmou em entrevista à CNN nesta sexta-feira (13) que as eleições de 2022 já estão definidas entre o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Membro histórico do PSDB, Nunes declarou pedestal ao petista.

“Leste é o dilema: o Brasil vai ter mais quatro anos de Bolsonaro com tudo isso que representa de tensão permanente sobre as instituições? De negacionismo? De turbulência? Ou vamos ter outro caminho, o caminho que se coloca hoje no principal candidato da oposição, que é o ex-presidente Lula, que já conhecemos?”, questionou.

Segundo Nunes, o petista já foi presidente duas vezes e “nunca ameaçou a democracia”. “Ele tem lá o programa que expressou em recente oração. Eu concordo com muitas coisas, com algumas eu tenho restrições, mas é alguém que representa a cultura contra a barbárie. Eu não tenho nenhuma indeterminação”, afirmou.

Além de se declarar porquê votante de Lula para a Presidência, ele afirmou que irá votar no governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), candidato à reeleição, e no senador José Serra (PSDB) para o função de deputado federalista.

Sobre uma provável candidatura do PSDB, o ex-senador criticou a proposta que vem sendo discutida por seu partido em reuniões com o MDB e o Cidadania para definir uma candidatura única com base em pesquisas quantitativas e qualitativas. O ex-governador paulista João Doria, pelo PSDB, e a senadora Simone Tebet, do MDB, são atualmente pré-candidatos à Presidência da República.

Ele classificou a teoria de “terceirizar a decisão nas mãos de um pesquisador” porquê uma “falência” da direção política do PSDB. Nunes disse que Doria tem muitas qualidades, mas não o carisma necessário para servir porquê uma opção a Lula ou a Bolsonaro.

“Precisaria de uma tropa política muito numerosa para levar adiante uma candidatura que tivesse perspectiva de sucesso. Daí esse movimento de buscar uma conjugação de vários partidos: União Brasil, MDB, Cidadania e PSDB. Esse movimento não deu claro, fracassou.
Diante disso, considero que a candidatura de Doria não é viável. As pesquisas mostram isso”, disse.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

(Publicado por Estêvão Bertoni)

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também