Brasileira é condenada a 9 anos e 6 meses de prisão na Tailândia por tráfico de drogas

Por redação

A brasileira Mary Hellen Coelho da Silva, de 21 anos, foi condenada a 9 anos e 6 meses de prisão na Tailândia por tráfico de drogas, de congraçamento com uma publicação da advogada da jovem nas redes sociais nesta quinta-feira (11).

Silva é moradora de Pouso Jubiloso, Minas Gerais, e foi presa em 14 de fevereiro junto a dois outros jovens ao desembarcar no aeroporto de Bangkok com 9 quilos de cocaína nas bagagens.

Segundo a advogada, que diz ter recebido informações do consulado, a pena da brasileira é dividia em 2 anos por delito social e 7 anos e 6 meses por delito penal. Ela complementa que aguarda a traslado dos documentos referentes à decisão para “estruturar os próximos passos”.

A expectativa pelo julgamento era grande, visto que a legislação da Tailândia prevê que os casos de tráfico de drogas podem ser punidos até com pena de morte.

À quadra da prisão, o Itamaraty afirmou que acompanhava o caso.

Relembre o caso

Mary Hellen e um companheiro de 27 anos saíram de Curitiba e chegaram à capital tailandesa por avião. Um jovem de 24 anos desembarcou horas depois, também em voo vindo da capital paranaense.

Em seguida funcionários desconfiarem do teor das malas, foram encontrados 9 quilos de droga em um divisão oculto na bagagem de Mary Hellen e de seu companheiro. Já o outro rapaz levava 6,5 quilos em duas malas. Os três foram detidos e, depois, levados para um presídio de Bangkok.

Segundo a mana de Mary Hellen, a família não sabia do envolvimento da jovem com tráfico de drogas. Eles ficaram sabendo da prisão em seguida a jovem enviar um áudio pedindo ajuda. Chorando, ela citou o contato de um jurisconsulto a quem deveriam pedir para “fazer alguma coisa” e “mandar a gente responder no Brasil”.

Casos anteriores

Nos últimos dez anos, pelo menos dois brasileiros acusados de tráfico de entorpecentes foram executados em países do sudeste asiático que mantêm a pena de morte, uma vez que a Tailândia.

Em 2015, o instrutor de voo Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi recluso quando, segundo a denúncia, tentava entrar na Indonésia com 13 quilos de cocaína escondidos nos tubos de uma asa delta.

Um ano antes, o surfista Rodrigo Masfeldt Gularte, de 42 anos, tinha sido recluso com 6 quilos da droga escondidos em uma prancha de surfe, também na Indonésia. Ambos foram executados por um pelotão de fuzilamento, conforme as leis do país.

*com informações da Filial Estado

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também