BC do Japão descarta ampliação de tira de rendimento para sofrear queda do iene

Por redação

O banco meão do Japão não tem planos de permitir que os juros de longo prazo se movam mais amplamente em torno de sua meta de 0% para sofrear quedas acentuadas do iene, disse um executivo do banco meão nesta terça-feira (10), afirmando que tal movimento seria equivalente a um aumento nos custos dos empréstimos.

Atualmente, o Banco do Japão se oferece para comprar quantidades ilimitadas de títulos do governo nipónico de dez anos para proteger um teto de rendimento implícito de 0,25% estabelecido em torno de sua meta de juros de 0%, mantendo uma política monetária estimulativa porquê segmento dos esforços para reinflar a economia.

No entanto, quedas acentuadas no iene à medida que outras economias aumentam seus próprios juros levaram à especulação do mercado de que o Banco do Japão pode ampliar a margem de tolerância de 0,50 ponto percentual em torno de seu objetivo e permitir mais aumentos nas taxas de longo prazo.

“Não temos planos de ampliar a margem”, disse o diretor executivo do banco, Shinichi Uchida, ao Parlamento. “Fazer isso equivaleria a um aumento da taxa de juros” e, portanto, indesejável para a economia, acrescentou.

Ainda assim, Uchida disse que os recentes movimentos acentuados no iene são indesejáveis, uma visão ecoada pelo ministro das Finanças, Shunichi Suzuki.

O iene atingiu uma novidade mínima em 20 anos de 131,34 por dólar na segunda-feira, antes de se restabelecer para murado de 130,10 nesta terça.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também