Assinatura da Netflix com anúncios pode chegar até o final do ano, diz relatório

Por redação

Netflix disse recentemente aos funcionários que uma novidade categoria de assinatura, com anúncios, de preço mais ordinário da empresa pode chegar até o final do ano, de combinação com um relatório do New York Times nesta terça-feira (10).

A empresa está lutando com o aquecimento da competição de streamings: as ações caíram no mês pretérito depois que a Netflix divulgou sua primeira perda trimestral de assinantes em mais de uma dez.

O CEO da Netflix, Reed Hastings, disse em abril que a empresa estava ensejo a aditar comerciais ao serviço, chocando a indústria de mídia e publicidade. Hastings por anos se recusou a colocar comerciais na plataforma.

 

“Quem acompanha a Netflix sabe que sou contra a complicação da publicidade e um grande fã da simplicidade da assinatura. Mas por mais que seja fã disso, sou um grande fã da escolha do consumidor”, Hastings disse na chamada pós-ganhos no mês pretérito.

“E permitir que os consumidores que gostam de ter um preço mais ordinário e são tolerantes à publicidade consigam o que querem faz muito sentido.”

Hastings acrescentou em abril que a Netflix (NFLX) estava tentando deslindar porquê trazer anúncios para a plataforma “nos próximos um ou dois anos”. Mas esse processo parece estar se acelerando.

A empresa, que se recusou a comentar esta história, está tentando deslindar maneiras de trazer mais moeda, parar o sangramento em Wall Street e virar a narrativa sobre suas ações.

No entanto, a notícia assustou os investidores, levando as ações da Netflix a desabar 1% depois o relatório. As ações estavam mais altas antes da reportagem do New York Times.

Outra superfície de geração de receita que a Netflix vem explorando é possivelmente dificultar o compartilhamento de senhas entre seus assinantes. A nota aos funcionários também disse que a Netflix começará esse esforço de senha na mesma estação em que pretende estrear a estrato de anúncios.

Em março, a empresa disse que está trabalhando há um ano em maneiras de “permitir que os membros que compartilham fora de morada façam isso com facilidade e segurança, além de remunerar um pouco mais”.

A Netflix informou em abril que tem 221 milhões de assinantes, tornando-se líder no mercado de streaming, mas que perdeu 200.000 usuários no primeiro trimestre de 2022. Se isso não bastasse, observou que espera perder mais dois milhões no segundo trimestre.

A perda de assinantes e a má orientação levaram os investidores a questionar o prolongamento horizonte da Netflix e até mesmo de todo o negócio de streaming.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também