Apple e Samsung poderão enfrentar processos em mais de 900 Procons

Por redação

A Secretaria Vernáculo do Consumidor (Senacon), ligada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, orientou mais de 900 Procons de todo o país a furar processos administrativos contra as empresas Apple e Samsung.

O motivo é a venda de aparelhos de telefone celular sem os carregadores de vigor.

Segundo nota divulgada na última quinta-feira (12) pela Senacon, a introdução dos processos vai servir para que as empresas apresentem explicações para a retirada dos carregadores e até mesmo para tomarem medidas que garantam a satisfação dos consumidores.

A retirada dos carregadores foi anunciada pela Apple, em outubro de 2020. A empresa disse que iria deixar de incluir o carregador na venda do iPhone 12.

A estratégia foi mantida no lançamento do iPhone 13, no ano pretérito. Já a Samsung anunciou a retirada do carregador e do fone de ouvido, em janeiro de 2021, para a traço de celular Galaxy S21.

As empresas justificaram a decisão com o argumento de redução do impacto ambiental.

A medida fez com que Procon de São Paulo aplicasse uma multa superior a R$ 10,5 milhões contra a Apple. Em Fortaleza, a multa aplicada pelo órgão de resguardo do consumidor foi de R$ 26 milhões.

O valor foi dividido com a Samsung.

“De conformidade com estimativas dos órgãos de Resguardo do Consumidor, se exclusivamente tapume de metade dos Procons (450) penalizasse em R$ 10 milhões cada uma das duas gigantes tecnológicas, elas teriam de remeter ao fundo de recursos dos Procon zero menos que R$ 9 bilhões”, informou a Senacon.

Procurada pela CNN, a Samsung diz que tem “respondido de forma consistente às demandas de órgãos de resguardo do consumidor em relação a sua política de carregadores” e que tornou permanente, durante o período de fabricação, a “disponibilização gratuita de um carregador de tomada para todos os consumidores que adquirirem um telefone celular fabricado no Brasil”.

Entre os produtos inclusos na política de disponibilização de carregadores, estão: Galaxy S21 5G, S21+ 5G, S21 Ultra 5G, Galaxy S21FE 5G, Galaxy S22 5G, S22+ 5G e S22 Ultra 5G, Galaxy ZFold3 5G e Galaxy ZFlip3 5G.

“O resgate deverá ser feito respeitando as respectivas regras, que incluem o prazo de trinta dias a partir da emissão da nota fiscal para a respectiva solicitação”, disse em nota.

A Apple disse que não irá comentar sobre o tema.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também