Aperto monetário não necessariamente resulta em recessão, diz dirigente do Fed

Por redação

O presidente da distrital do Federalista Reserve (Fed, o banco médio norte-americano) em Richmond, Thomas Barkin, afirmou, nesta terça-feira (10), que o processo de combate à inflação não necessariamente precisa resultar em uma recessão econômica. O dirigente participou de evento organizado pela Câmara de Negócio do Condado de Cecil.

Barkin explicou que o renda obrigatório (atualmente entre 0,75% e 1,00%) ainda está distante da taxa neutra, que os integrantes do Comitê Federalista de Mercado Crédulo (FOMC, na {sigla} em inglês) estima estar entre 2% e 3%.

“Uma vez que chegarmos na fita da taxa neutra, podemos estabelecer se a inflação permanece em um nível que nos obriga a colocar freios na economia ou não”, avaliou.

O dirigente ressaltou que a demanda doméstica nos Estados Unidos está poderoso e deve permanecer “robusta” por um tempo indeterminado.

Segundo ele, o quadro é sustentado pelos firmes balanços de empresas e famílias, além da premência de repor os estoques e o grande volume de verba de governos estaduais. Isso em um momento de gargalos nas cadeias produtivas globais. “Porquê resultado, as pressões de preços estão em todo lugar”, comentou.

Barkin reconheceu que o Fed dispõe de instrumentos limitados para controlar repiques de pequeno prazo nos preços, mas pode agir no médio prazo.

O líder da distrital de Richmond do Fed ressaltou que o aumento dos custos de empréstimos deve afetar investimentos e gastos em áreas uma vez que imóveis e carros.

De concordância com ele, a instituição fará tudo o que for necessário para sustar a escalada inflacionária. “Tudo isso levará um pouco de tempo, mas não se engane, estamos no caminho”, assegurou.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também