Weather Widgets for Websites by Weatherwidget.org

AerCap Holdings perdeu 113 aviões para a Rússia devido a sanções

Por redação

AerCap Holdings, a gigante de leasing (modalidade de contrato de arrendamento mercantil) de aeronaves que é a maior proprietária de jatos do mundo, perdeu 113 aviões quando a Rússia os apreendeu em resposta às sanções desencadeadas pela guerra na Ucrânia.

As apreensões dos aviões e 11 motores a jato pelas autoridades russas fizeram com que a AerCap cobrasse US$ 2,7 bilhões antes de impostos durante o trimestre, fazendo com que a empresa relatasse um prejuízo líquido de US$ 2 bilhões em vez do lucro de US$ 500 milhões que teria feito sem o espancar.

Mas os executivos da empresa disseram que o trimestre foi realmente bom e eles veem tempos melhores adiante, à medida que a demanda global por voos continua a se restabelecer da pandemia de Covid.

“Mas para o impacto da Rússia, leste é um potente trimestre subjacente para a empresa”, disse o CEO Aengus Kelly em comentários a analistas. “Em todas as nossas linhas de negócios, estamos vendo uma demanda crescente, maior utilização de nossos ativos e melhoria da saúde financeira de nossos clientes.”

Os investidores concordaram e as ações da AerCap, com sede em Dublin, ganharam 6% nas negociações da tarde em seguida o relatório.

A empresa conseguiu restabelecer 22 jatos e 3 motores antes de serem apreendidos pelas autoridades russas. A empresa apresentou reivindicações de seguro para tentar restabelecer a aeroplano perdida, embora algumas dessas reivindicações sejam com companhias de seguros russas.

Essas apólices são apoiadas por companhias de resseguros ocidentais, mas a AerCap afirmou que “o momento e o valor de quaisquer recuperações sob essas apólices são incertos”.

A empresa possui um totalidade de 1.624 aeronaves, muito mais do que possui ou opera qualquer companhia aérea. Os jatos perdidos para a Rússia representaram menos de 5% do valor líquido da frota da Aercap, que cresceu durante a pandemia ao comprar a empresa de leasing rival GECAS da General Electric.

A Aercap deve suportar facilmente a perda financeira dos jatos, disse Richard Aboulafia, diretor administrativo da AeroDynamic Advisory. Mesmo que a guerra terminasse e as sanções fossem suspensas, os aviões perderam seus certificados de operação aos olhos dos reguladores ocidentais da aviação.

“Uma vez que a documentação vai, há muito pouco sentido em tentar recuperá-los”, disse ele.

Quando a Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro, as transportadoras aéreas russas operavam 861 aviões comerciais, segundo dados da empresa de estudo de aviação Cirium. Pouco mais da metade desses aviões, com um valor de mercado estimado de US$ 9,2 bilhões, pertencia a empresas de leasing não russas.

As sanções de vários países exigiram que as empresas internacionais de leasing de aeronaves que possuíam os jatos os recuperassem até o final de março. Estima-se que 79 jatos foram recuperados, mas a Rússia anunciou que estava nacionalizando centenas de outros.

CNN Brasil

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Veja também