Fumar é um tema que está relacionado à saúde pública

O prazer nada raro de fumar

A gente não quer só comida

A gente quer comida Diversão e arte

“Comida” dos Titãs.

Fumar é um tema que está relacionado à saúde pública
Fumar é um tema que está relacionado à saúde pública
Uma das questões recorrentes nos consultórios médicos ou exames de laboratórios é:“você fuma ou você bebe?”. Percebe-se, por esse questionamento, que fumar é um tema que está relacionado à saúde pública. Bem se você quem está lendo esta matéria é fumante, alertamos de início,  que  não  é  nossa  intenção  condenar  os  fumantes,  pois  respeitamos  o  livre-arbítrio  de  todos  que  garante  a  plena  liberdade  de  agir  ou  consumir  o  que  bem entender.

Segundo  dados  da  OMS  (Organização  Mundial  de  Saúde)  um  terço  da  população mundial adulta, ou seja, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas são fumantes. Cem milhões de mortes foram causadas pelo tabaco durante o século XX.

As previsões alertam que o uso tabaco no século XXI causará um aumento para mais de um bilhão de óbitos, que acontecerão principalmente nos países desenvolvidos.

Apesar do consumo do cigarro nos últimos nove anos ter caído em 30 % no Brasil, ainda  é  preocupante  o  aumento  do  consumo  do  cigarro  principalmente  o contrabandeado dos países vizinhos e que com valores abaixo dos valores praticados no mercado, facilita ainda mais a manutenção da dependência química.

O  tema  envolve  diversos  segmentos  da  sociedade,  mas  vamos  nos  restringir  aos jovens,  principais  vitimas  do  uso  do  tabagismo  e  outras  drogas  ilícitas  além  do alcoolismo.

O Poder Público tem adotado medidas, com campanhas contra o uso do cigarro, para evitar que os jovens experimente o tabaco, com alertas sobre os perigos desse vício na própria embalagem dos cigarros, no entanto, parece que os fumantes não levam em consideração as mensagens.

Conta-se que os jovens quando compram cigarros preferem os que provocam câncer do pulmão, mas evitam os que podem causar impotência. Pode parecer piada o fato, mas com o péssimo nível  da educação brasileira,  a possibilidade dessa opção pelos adolescentes é até compreensível.

Se profissionais da área da saúde que conhecem os males do uso de certas drogas, e, assim,  insistem  no  consumo  de  tais  substâncias,  chega-se  a  conclusão  que  as campanhas de impacto não são tão eficazes no combate ao tabagismo.

Qual seria então o caminho para dissuadir a juventude e adultos sobre o uso de drogas lícitas e ilícitas? A melhor maneira de convencer os jovens a evitar as drogas é cultivar o bem estar corporal  e  mental.  O  desafio  é  grande  e  não  é  simples  devendo  iniciar  antes  da  concepção da criança pelos pais

O desenvolvimento do ser humano eficaz, portanto, inicia-se com o relacionamento do casal e é uma tarefa que só termina quando o jovem se torna um adulto responsável e consciente de suas responsabilidades perante a família e a sociedade.

Prof. Engo. Jornalista – Welinton BRUNIALTI

Comunicar erros e sugestões – email-welinton.brunialti@gmail.com

 

Comentários no Facebook