Você está aqui
Início > Brasil e Mundo > Nada justifica a violência no trânsito brasileiro.

Nada justifica a violência no trânsito brasileiro.

Violência é o uso intencional da força física ou do poder real ou em ameaça, contra si próprio, contra outra pessoa, ou contra um grupo ou uma comunidade, que resulte ou tenha qualquer possibilidade de resultar em lesão, morte, dano psicológico, deficiência de desenvolvimento ou privação (KRUG et al., 2002, p. 5). KRUG, E. G. et al. (Org.). Relatório mundial sobre violência e saúde. Geneva: Organização Mundial da Saúde, 2002.

Morre ‘Palhaço’ vítima de agressão no trânsito

A comunicação do óbito de Adriano Ribeiro da Silva, o animador de rua que se vestia de palhaço, foi feita na madrugada de  hoje (16). A comunicação é feita pelo agente funerário com base em guia emitida pela Santa Casa e apresentada na delegacia de Polícia Civil. A morte de Adriano se deu às 22h30 de terça-feira (15). A delegada Paula Casalli Dezzotti determinou que o Boletim de Ocorrência da comunicação do óbito seja inserido no inquérito que apura a lesão corporal contra ele, ocorrida no último dia 8. A  delegada explica que a morte se deu em virtude das agressões sofridas que o mantiveram internado até a data da morte e expede o exame necroscópico junto ao IML (Instituto Médico Legal). Familiares do animador de rua, Adriano Ribeiro da Silva, 36, aguardavam uma avaliação do estado de saúde dele por uma equipe da Unicamp, uma vez que ele não tinha reação cerebral ao tratamento. A irmã Rosa Maria da Silva, em entrevista à Gazeta na tarde de ontem (15), disse que a sedação foi tirada para ver se ele acordava, mas que o quadro evoluía para morte cerebral. Os médicos disseram que se ele permanecesse na UTI por 30 dias, mas tendo reação, poderiam partir para uma cirurgia e reverter o quadro, o que não estava ocorrendo. Rosa Maria disse que o animador de rua deu entrada na Santa Casa com trauma de crânio, hemorragia cerebral e aneurisma. A lesão na cabeça foi provocada após ele se envolver em uma briga de trânsito. Ele foi agredido enquanto animava os transeuntes e motoristas que trafegavam pelo cruzamento da Rua 13 de Maio, próximo a agência do Santander. O autor da agressão é o motorista João Clodoaldo Guidini.  Em depoimento aos guardas civis, no dia da agressão, Guidini contou que ao passar pelo animador de rua, este bateu com o taco de boliche de plástico na porta de seu veículo Toyota/Etios, cor preta. Guidini disse que então estacionou o veículo, que ficou com um risco, e foi até o malabarista chamar sua atenção. E, que o mesmo foi em sua direção com o taco e teria tentado agredi-lo, momento em que o animador teria derrubado o taco no chão. Enquanto o malabarista, que estava vestido de palhaço, abaixa para pegar o instrumento, deu-lhe um chute no queixo. Com o golpe, Adriano caiu para trás batendo a nuca na guia permanecendo estático. A ocorrência foi registrada na delegacia como lesão corporal e o autor da agressão foi liberado. Fonte: GAZETA GUAÇUANA

Deixe uma resposta

Top
%d blogueiros gostam disto: