Você está aqui
Início > Brasil e Mundo > Educação > Itapira: Plano Municipal de Educação foi debatido no Iesi

Itapira: Plano Municipal de Educação foi debatido no Iesi

Flávia abriu evento no Iesi (Divulgação)

Flávia abriu evento no Iesi (Divulgação)

O Iesi (Instituto de Ensino Superior de Itapira) abrigou, entre a manhã e o início da tarde de sexta-feira (22), a discussão das metas para adequação do Plano Municipal de Educação.

Na prática, o evento consistiu na análise, sugestões e formatação de um conjunto de metas composto por 20 propostas que deverão nortear as ações voltadas à área educacional em Itapira nos próximos 10 anos.

A audiência pública foi aberta às 8h00 pela secretária municipal de Educação, Flávia Rossi, que falou para aproximadamente 90 pessoas presentes no auditório do Iesi entre professores, diretores, supervisores, autoridades públicas, representantes de entidades e membros da sociedade civil.

“Estamos aqui com uma missão muito importante, que é a de discutir o nosso Plano de Educação no município para o decênio 2015-2025”, comentou Flávia ao recepcionar os presentes. “É uma missão onde falamos da educação itapirense e não somente da rede municipal, mas sim com as escolas particulares, estaduais e com entidades parceiras da Educação, bem como com a população de uma forma geral”, disse.

Os inscritos na audiência foram divididos em quatro grupos que tiveram por objetivo analisar as 20 metas. Eles se reuniram em três salas da faculdade e no próprio auditório. As atividades aconteceram até o início da tarde. Entre as metas, por exemplo, figura a intenção de alfabetizar todas as crianças, no máximo, até o final do terceiro ano do ensino fundamental, bem como oferecer educação em tempo integral em pelo menos 50% das escolas públicas com objetivo de atender, no mínimo, 25% dos alunos da rede básica.

Professores e demais interessados se reuniram para discutir plano (Divulgação)

Professores e demais interessados se reuniram para discutir plano (Divulgação)

O plano também abrange metas voltadas à população com idade entre 4 e 17 anos que possui algum tipo de deficiência, transtornos globais do desenvolvimento ou altas habilidades e superdotação, garantindo o acesso à educação básica e ao atendimento educacional especializado de preferência na rede regular de ensino, com salas de recursos multifuncionais em um sistema inclusivo. As metas também incluem a intenção de elevar a escolaridade média da população de 18 a 29 anos de forma a alcançar pelo menos 12 anos de estudos no último ano de vigência do plano.

As metas reúnem ainda diversas outras demandas que passam pelo aumento da oferta de vagas nos cursos de educação técnica e profissionalizante, bem como garantir a formação continuada dos profissionais de ensino e a valorização dos profissionais do magistério das redes públicas de educação básica. “As metas deste plano são muito importantes, pois vão cruzando em parcerias com a família e com áreas sociais, e muitas ações se somam com saúde, promoção social, esporte e cultura”, destacou a secretária municipal.

A diretora regional de Ensino, Elin de Freitas Monte Claro Vasconcellos também participou da audiência. Para ela, o grande desafio dos planos de educação em níveis municipal, estadual e nacional é garantir o ensino de qualidade. “Hoje a educação é para todos, e não mais para alguns como acontecia antigamente. Agora, o objetivo maior é alcançar a qualidade do ensino com equidade e igualdade, esse é o grande desafio”, frisou.

O prefeito José Natalino Paganini (PSDB) também falou aos presentes antes da reunião dos grupos. “Estamos em um momento muito especial da educação em Itapira, resultado do esforço de todos que fortaleceram essa área ao longo da história, e esse momento (discussão do plano) é muito importante para nossa administração”, considerou.

Após a discussão das propostas pelos quatro grupos, os documentos foram apresentados, em plenárias, com suas alterações e adequações. Os trabalhos foram encerrados por volta das 13h00. Na semana que vem, as metas serão enviadas à análise do Gabinete do Prefeito. Os textos devem estar em consonância com o Plano Nacional, aprovado em junho do ano passado. Cabe ao prefeito, após aprovar as metas, enviar o Plano Municipal de Educação à Câmara Municipal para que seja discutido e votado. Os municípios têm até o dia 24 de junho para aprovar e homologar seus planos.

Fonte: ItapiraNews

Deixe uma resposta

Top
%d blogueiros gostam disto: