Existe cidadania brasileira?

Existe cidadania brasileira?

“A cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social”. DALLARI, Direitos Humanos e Cidadania

4As manifestações de ruas que tomaram quase todos os cantos do país demonstraram que mais que protestos e reivindicações, o povo brasileiro está desencantado com os rumos tomados pela política e com o caos estabelecidos em todos os níveis de governos municipais, estaduais e federal.
Lamentavelmente as primeiras respostas do governo federal aos anseios do povo contribuíram mais para as descrenças e desilusões nas autoridades que já não conseguem mais transmitir confiança e disposição para as mudanças exigidas.
O teor dos discursos das autoridades em sua grande maioria tem refletido mais cuidado em resguardar a imagem dos políticos, bastante desgastadas, do que propriamente apresentar soluções que visem acabar com os rombos dos cofres públicos causados pela corrupção.
Observa-se que também que nenhum dos partidos existentes, até que se provem o contrário, não estão isentos de culpa, o que traz esse clima de desconfiança e impotência do indivíduo perante o trágico estado instalado na administração pública.
Os desmandos não estão presentes apenas na área do executivo, mas também no legislativo preocupado mais em legislar em proveito próprio, como por exemplo na dificuldade de votar a não reeleição que perpetua políticos em cargos vitalícios.
Segundo o ex-ministro Joaquim Barbosa uma das causas da corrupção no país é a reeleição.
Se não bastasse o povo conviver com os escândalos políticos e financeiros, somos também “reféns” de contratos maquiavélicos impostos por companhias multinacionais, tais como as telecomunicações, hoje campeãs de reclamações, que usam e abusam dos usuários com serviços ineficientes e estão amparadas por leis que impedem qualquer ação por parte do usuário.
As mazelas brasileiras infelizmente não param aí, mas também no Judiciário com sua morosidade contribui para o sofrimento do reclamante e do advogado, que tem de aguardar em média dez a vinte ou mais anos para conclusão de processos, como a defasagem de aposentadoria, provocados pelos recursos processuais permitidos pela atual legislação.
No Brasil dos deveres onde somos penalizados com a maior taxa de impostos do planeta, qualquer dívida com o Estado, tal como a do Imposto de Renda, o “contribuinte”, independente de sua condição financeira, é obrigado a saudá-la imediatamente.
Quanto aos pagamentos dos processos, como exemplo a defasagem de aposentadoria, o mesmo contribuinte fica sujeito à boa vontade do Estado que acerta seus débitos quando lhe convém, sendo que muitas vezes dependendo do tempo, a pessoa falece sem se beneficiar desse valor.
Nessa situação ficamos com uma grande dúvida: “Existe cidadania brasileira”?
Na óptica governamental a cidadania só é valorizada em época de eleição com o exercício do voto obrigatório, que tem como objetivo causar a ilusão de participação nos rumos da política nacional.
Sabemos que a cidadania implica em deveres, mas também em contra partida em direitos, que a população está exigindo nas ruas, ou seja, o exercício e respeito aos seus direitos.
Torcemos para que as autoridades tenham competência e vontade de solucionar a grave crise instalada e não imponha mais sacrifícios com aumento de impostos e pedidos descabidos de paciência o que já não cabe mais no momento e, portanto, ofende e desrespeita qualquer noção mínima de cidadania.
O povo já fez sua parte agora é a vez das autoridades políticas arregaçarem as mangas e partir para o trabalho digno e honesto.
PROF.ENGº -JORNALISTA – Welinton BRUNIALTI
Correções e sugestões – Welinton.brunialti@gmail.com

Comentários no Facebook