Mário Márcio Dias

Mário M.Dias, foi professor e administrador. Hobbies: astrologia, poesia e a convivência com os amigos. Escreve poesias, dentre delas oferece Descendo o rio
Colunista Mário Márcio Dias

Descendo o rio

Descendo o rio Ao me tornar gente grande vejo prazer e dor andarem juntos na balança da vida. Para cada quinhão de prazer haverá seu quinhão de dor. Quando você me matou de prazer não imaginava o sofrimentode nossa separação com a perda de seu toque com a fugacidade de […]

Centauro: O que nós chamamos de homem na verdade é um centauro: o busto é de homem a base é um cavalo.
Mário Márcio Dias

Centauro

Centauro O que nós chamamos de homem na verdade é um centauro: o busto é de homem a base é um cavalo. É uma criatura intermediária incompleta às vezes sublime muitas vezes bestial. Espera-se que um dia a criatura evolua tornando-se uma figura plenamente humanoide. Quando isto ocorrer a criatura […]

Celebra-se a vida a cada ano
Mário Márcio Dias

Celebra-se a vida a cada ano

Celebra-se a vida a cada ano com parabéns, bolo e guaraná. Poder-se-ia, no entanto, com mais propriedade celebrá-la no momento em que ela se dá no vero momento de seu desenrolar: no instante. A vida se dá em um instante com duas etapas: a inspiração e a expiração. A inspiração […]

Carreira-Solo
Mário Márcio Dias

Carreira-Solo

Quando tinha dezoito anos escolhi fazer carreira-solo. Prefiro limitar-me à minha falta de capacidade a restringir-me pelo medo pela insegurança pela preguiça dos outros. Meu caminho solitário está sujeito a percalços erros tombos como qualquer outro, mas serão meus erros meus tombos meus atrasos. Por certo, conto com ajuda, mas […]

Caboclo
Mário Márcio Dias

Caboclo

Ao rebuliço da vida sucede o descanso da morte. A vida é ativa a morte é contemplativa. A consciência gosta de observar, de preferência do alto. Do alto, as coisas são mais belas por dentro, são mais perigosas. A imaginação é inquieta, fala demais: é a maritaca da alma. A […]

As palavras que falei
Mário Márcio Dias

As palavras que falei

As palavras que falei foram levadas por um vento forte que virou redemoinho passou pelas encruzilhadas levantou poeira e se foi ventando com as sementes até cair no mar. Entretanto, muito entretanto, espero silencioso no meu canto que, de lá, brote alguma graça alguma Vênus rediviva para me consolar.   […]